Nasceu a primeira libelinha robot capaz de realizar as mesmas manobras que o insecto real e, paralelamente, ser controlada via smartphone. O mecanismo está equipado com sensores e tecnologia de comunicação sem fios que lhe permite transmitir continuamente os dados que recolhe em voo.

Chama-se BionicOpter e foi criada pela empresa de robótica alemã Festo: “Tal como o seu modelo na natureza, este objecto ultraleve pode voar em todas as direcções, pairar no ar e deslizar sem bater as asas”, explica a empresa.

A libelinha pode ser bastante útil para avaliar fenómenos, estabelecer comunicações ou transmitir dados em locais de difícil acesso. Pode, por isso, ser muito importante na melhoria da sustentabilidade das cidades.

Cada uma das quatro asas do robot – feitas de folha de alumínio e fibra de carbono – pode bater e torcer-se individualmente. A potência do impulso de cada uma também pode ser ajustada, o que lhe permite assumir manobras complexas.

A Festo adianta que o insecto é facilmente controlado por smartphone, uma vez que a frequência de oscilação, a amplitude e o ângulo de instalação são controlados por software e electrónica. Tudo o que o utilizador tem de fazer é orientar a libelinha – o software determina as sequências de movimento com base na direcção.

O mecanismo de voo é controlado por um único microprocessador ARM. Esta tecnologia poderia revolucionar a indústria da aviação com o avanço do seu desempenho de precisão e voo, tanto em aviões comerciais e militares como em helicópteros.

O único aspecto em que esta invenção perde pontos é no tamanho. É muito maior do que a libelinha real, tem 48 centímetros e 175 gramas.

Deixar uma resposta