Empresa norte-americana cria bioplástico a partir de resíduos dos esgotos

A empresa norte-americana Micromidas está a transformar os resíduos vindos dos esgotos numa forma versátil de plástico que se biodegrada em seis meses.

De acordo com a imprensa internacional, o processo utilizado passa por aproveitar os micróbios – especificamente bactérias – para produzir resina de bioplástico, que pode depois ser processada num plástico maleável.

“Esta tecnologia já tem andado por aí e sido falada… já existe há mais de vinte anos. Decidimos passá-la da fase experimentar para uma escala industrial. Ou seja, não estava propriamente pronta para ser realmente utilizada, mas foi isso que nós fizemos, levá-la para um outro nível”, explicou o CEO da Micromidas, John Bissell.

Este processo tecnológico faz cada vez mais sentido. Ao mesmo tempo que 8% do petróleo de todo o mundo é utilizado para fazer plástico – e todos sabemos o custo ambiental, social e económico deste processo –, as cidades de todo o mundo produzem cada vez mais resíduos.

“Este bioplástico pode ser utilizado para fabricar todo o tipo de embalagens”, explica Bissell.

Saiba mais sobre o processo tecnológico neste artigo do GreenWink. Ou no próprio site da Micromidas.

“Tudo o que precisamos para fazer plástico está, na verdade, aqui, à face da terra. E todos os ingredientes dos esgotos têm o que precisamos para fazer plástico”, explicou também o CTO e co-fundador da Micromidas, Ryan Smith.

A Micromidas foi fundada em 2008 e tem como objectivo combinar metas relacionadas com o negócio, a crescente preocupação ambiental e o tempo necessário para aperfeiçoar a inovação tecnológica.

A empresa está em expansão e tem várias vagas de profissionais para preencher. Veja aqui.

Recorde também aqui a notícia, datada de 2008, que aborda a possibilidade de transformar os resíduos dos esgotos em água potável.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php