Novo projeto da UTAD e da Altice Labs vai promover a preservação do eno-património histórico do Douro

O eno-Analytics é o novo projeto desenvolvido pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e a Altice Labs, que vai promover a preservação do eno-património histórico do Douro. O mesmo pretende criar um sistema inteligente que auxilie a identificar castas na região do Douro e a estabelecer correlações com qualidade do vinho, recorrendo para isso à Internet das Coisas (IoT) e a técnicas de Machine Learning.

O projeto está a ser desenvolvido sob a coordenação de Salviano Pinto Soares e de António Valente, docentes e investigadores da Escola de Ciências e Tecnologia da UTAD, na Quinta do Crasto, situada na Região Demarcada do Douro, no âmbito de uma tese de Doutoramento em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores de Sérgio Silva e que conta também com Filipe Cabral Pinto, da Altice Labs, na equipa de supervisão.

Esta parceria resulta da colaboração de mais de 15 anos e está a ser desenvolvido na sequência do projeto PatGenvinhas, que surgiu em 2013, também na Quinta do Crasto, pela necessidade de preservação da “emblemática vinha velha Maria Teresa” (VMT), que tem mais de 100 anos.

Complementando o trabalho iniciado em 2013, o eno-Analytics quer criar “um sistema inteligente capaz de dar suporte à identificação das castas da VMT, de modo a preservar esse património genético de elevado valor, e também, numa perspetiva de extensão sensorial, instalar uma infraestrutura de recolha dados heterogéneos, nomeadamente os obtidos por sensores IoT, normalmente associados à viticultura de precisão, que sejam dotados de capacidades de comunicação LoRa/NBIoT onde serão testadas várias soluções proprietárias e inovadoras do consórcio que recentemente foi enriquecido com a Globaltronic e a GeoDouro”, explica Salviano Soares.

Está ainda prevista a acomodação de um Piloto designado Lab in-situ@Crasto, onde serão realizados testes e ensaios com investigadores, professores e alunos, promovendo também a “produção de especificações comerciais com vista a demonstrar a aplicabilidade à indústria vitivinícola e replicação no setor agrícola ou outros”.

“Do desenvolvimento do projeto poderão surgir algumas externalidades positivas decorrente da Analítica que permitirá elevar os “Dados” à categoria de “Informação“, pois, ao caracterizar o património vitivinícola, sobretudo o património desconhecido, estão criadas as condições para que a preservação seja um legado às futuras gerações viticultores continuando a garantir o fator diferenciador associado à identidade das regiões, neste caso reconhecida como Património Mundial pela UNESCO,” refere o investigador.

O eno-Analytics já foi reconhecido na competição IoT Global Awards 2020, tendo sido selecionado para a fase final na categoria Research & Development or New Launch.

Réplica digital da Vinha Maria Teresa/ © Quinta do Crasto
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...