Afinal a tartaruga-das-galápagos não está extinta – foi encontrado um exemplar



A tartaruga-das-galápagos (Chelonoidis nigra) foi considerada extinta nos últimos 100 anos, já que o último exemplar da espécie tinha sido avistado em 1906. No entanto, em 2019 um grupo de biólogos encontrou um espécime na Ilha Fernandina, no Arquipélago das Ilhas Galápagos, o que confirma a continuidade da sua existência.

Em visita à ilha, o grupo de cientistas da Universidade de Princeton encontrou esta tartaruga gigante fêmea, mas não teve a certeza de que espécie se tratava, já que a sua concha era distinta da do macho encontrado há mais de um século. Depois de analisar e comparar o seu ADN, a equipa confirmou que estes tinham genes semelhantes. Foi-lhe atribuído o nome de Fernanda, pelo local onde foi descoberta, e estima-se que tenha mais de 50 anos – podendo ainda chegar aos 200 anos.

“Fomos capazes de mostrar uma conexão entre a Fernanda e a outra tartaruga Fernandina [encontrada na mesma ilha] e também de ver a distinção entre essas duas tartarugas e as espécies que vemos nas outras ilhas”, afirma Stephen J. Gaughran, um dos autores do estudo, agora publicado na revista científica Nature. “A nossa esperança é que ainda existam algumas destas tartarugas por aí na ilha. Mas provavelmente não existem muitos exemplares”.

A tartaruga está agora a ser acompanhada no Centro de Tartarugas do Parque Nacional das Galápagos.

 



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.