Estados Unidos proíbem gordura artificial em produtos alimentares

A Agência para a Regulação dos Alimentos e Medicamentos (FDA, na sigla inglesa) norte-americana proibiu esta semana o uso de gorduras artificiais, conhecidas como ‘gorduras trans’, nos produtos alimentares que são consumidos nos Estados Unidos.

As autoridades concluíram que o seu consumo é prejudicial para a saúde e, como tal, concederam um período de três anos para que este tipo de gorduras artificiais seja completamente removido da indústria alimentar.

“Os óleos vegetais parcialmente hidrogenados, principal fonte alimentar de ácidos gordos artificiais na produção industrial de alimentos, não são considerados seguros para uso na alimentação humana”, afirmou a FDA em comunicado, cita o TreeHugger.

Em 2006, a FDA obrigou a que todos os produtores da indústria alimentar norte-americana indicassem a presença destas gorduras artificias nos rótulos dos seus produtos. Desde então, o consumo destas substâncias tem vindo a diminuir entre os consumidores norte-americanos. De acordo com a FDA, o consumo das gorduras em questão diminui 78% entre 2003 e 2012.

Mais tarde, em 2013, a autoridade reguladora considerou que estas gorduras eram nocivas para a saúde, mas esperou para ouvir todas as partes interessadas, nomeadamente os movimentos de consumidores e indústria alimentar, para anunciar a sua decisão final.

O consumo de ‘gorduras trans’ tem sido associado a vários problemas de saúde, tal como o aumento do risco de doença arterial coronária. “Esta decisão mostra o compromisso da FDA em proteger a saúde do coração de todos os norte-americanos. Isto deve reduzir a doença arterial coronária e prevenir milhares de ataques cardíacos todos os anos”, indicou a FDA.

Foto: avlxyz / Creative Commons

Deixar uma resposta

Patrocinadores