Firmas de private equity retiram-se da moda das renováveis

As grandes firmas e os fundos de private equity estão a abandonar o sector das energias renováveis depois de vários investimentos mal sucedidos e com perdas ou de retornos abaixo do esperado.

Cerca de 87% dos fundos que apostaram nas renováveis geraram lucros abaixo da média dos fundos que apostam noutros sectores, refere o Financial Times. Os ganhos provenientes deste sector são tão escassos que as principais gestoras norte-americanas que criaram fundos exclusivos para a área esperam ter de compensar o baixo retorno com ganhos provenientes de outros fundos.

Segundo o CFO da Calpers, Joseph Dear, o investimento nas energias limpas é “uma forma forma nobre de perder dinheiro”. No último ano, a Calpers, o sexto maior fundo de pensões do mundo, registou perdas de 9,7% no sector das renováveis.

Os gestores da área consideram que o sector das renováveis é uma área onde é difícil fazer dinheiro e é preciso ter sorte. Muitos dos projectos em que investem também acabam por não ser economicamente viáveis, o que se traduz em perdas. De todos os investimentos, os carros eléctricos e os painéis solares são os piores a gerar retornos. Os maiores ganhos resultam da biomassa e das quintas solares e eólicas que, de acordo com os gestores, geram um lucro “aceitável”.

De acordo com Jay Yoder, director de investimento na Altius, as apostas no sector das renováveis foram uma “moda popular” que dependeu em demasia das promessas governamentais de créditos e subsídios fiscais, que foram quebradas em vários países, nomeadamente Portugal e Espanha.

Foto: GollyGforce – Living My Worst Nightmare / Creative Commons

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php