Gronelândia está a derreter a um ponto sem retorno

O verão do ano passado foi de tal forma quente que contribuiu para a perda de 600 mil milhões de toneladas de gelo da Gronelândia, uma quantidade suficiente para que o nível do mar subisse 2,2 mm em apenas dois meses, de acordo com um novo estudo citado pelo ‘The Guardian’.​

O estudo teve por base as medidas tomadas pela missão de satélite ‘Gravity Recovery and Climate Experiment’ (Grace) da Nasa. “Sabíamos que o verão passado tinha sido particularmente quente na Gronelândia, derretendo todas as camadas de gelo, mas os números são muito elevados”, disse Isabella Velicogna, professora de ciências da Universidade da Califórnia e principal autora do novo estudo. ​

Os cientistas temem que o aquecimento global, causado pelas emissões de gases com efeito de estufa, tenham empurrado as camadas de gelo a ponto sem retorno, o que teria consequências catastróficas para a humanidade. Em 2013, o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) previu que, se o aquecimento global continuasse no ritmo daquele ano, o nível do mar subiria 60 centímetros até 2100 e ameaçaria 360 milhões de habitantes de regiões costeiras.​

Os investigadores revelaram ainda que o degelo na Gronelândia aumentou mais rápido do que o esperado, o correspondente ao cenário mais adverso previsto pelo IPCC, que prevê um aumento de 67 centímetros no nível do mar.​ Actualmente, o gelo está a derreter sete vezes mais rápido do que na década de 1990, elevando o nível do mar e colocando 400 milhões de pessoas em risco de inundação todos os anos.​
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...