Guimarães: prédio social reabilitado com os olhos na eficiência energética

A Câmara Municipal de Guimarães começou ontem a obra que reabilitará o Bloco Habitacional de Urgezes, um edifício destinado à habitação social, através da implementação de fontes de energia renováveis, com recurso à instalação de colectores solares térmicos e de painéis fotovoltaicos. Para além do investimento em renováveis, será feita uma recuperação estrutural e arquitectónica desta habitação social.

A intervenção vai custar €140.000 (mais IVA), tem um prazo de execução de três meses e contempla a instalação de um sistema solar térmico que permitirá o aquecimento das águas sanitárias, bem como um modelo de autoconsumo com baterias recorrendo a painéis fotovoltaicos para a produção de energia eléctrica, destinada ao abastecimento das áreas comuns do prédio, ou seja, às zonas de condomínio.

Os moradores passarão a ter um edifício social energeticamente eficiente, o que representará, como consequência directa, uma redução no custo da factura energética. Em comunicado, o presidente do Município de Guimarães afirma pretender que a realização da obra resulte num edifício “estruturalmente estável e visualmente reabilitado, com evidentes benefícios para os seus condóminos, designadamente através das poupanças nas facturas de energia que esta intervenção irá proporcionar”.

A obra exterior prevê o reforço da resistência térmica da fachada e da cobertura do edifício e o tratamento das pontes térmicas, com aplicação de isolamento térmico nas caixas de estore e caixilharias. Na cobertura, proceder-se-á à substituição integral da telha, caleiras, remates e colocação de isolamento térmico no desvão do telhado. Ao nível da cave, o projecto definiu a criação de um acesso automóvel, a poente do edifício, em cubo de granito, garantindo assim uma mais-valia para os utilizadores do edifício. O tecto da cave será também melhorado com a colocação de placas rígidas de isolamento térmico e acústico.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php