Hoje é Dia Mundial dos Animais. Uma data para celebrar e lutar pelos seus direitos

O Dia Mundial dos Animais é comemorado anualmente a 4 de outubro, e é uma celebração internacional pelos direitos e bem-estar dos animais.

Este é um dia que une as pessoas que defendem um melhor tratamento para os animais e tentam todos os dias proporcionar um melhor bem-estar animal. O dia começou, modestamente, há quase 100 anos, mas hoje o movimento é uma força global para tornar o mundo um lugar melhor para todos os animais.

O primeiro Dia Mundial dos Animais ocorreu a 24 de março de 1925, no Sport Palace de Berlim, Alemanha. Mais de 5.000 pessoas participaram do primeiro evento. Foi fundada pelo escritor e ativista animal Heinrich Zimmermann, autor de Mensch und Hund (Homem e Cão). Em 1929, o Dia Mundial dos Animais foi celebrado pela primeira vez a 4 de outubro, o dia que tinha sido pensado originalmente.

O 4 de outubro é, também, o dia de Francisco de Assis, o padroeiro da ecologia e dos animais. Este é o dia habitual para as igrejas católicas e anglicanas realizarem cerimónias de bênção de animais. Francisco de Assis acreditava que a natureza era o “espelho de Deus”. Este santo chamou a todas as criaturas seus “irmãos” e irmãs”. Francisco de Assis também acreditava que os seres humanos têm o dever de proteger a natureza como mordomos da criação de Deus.

De acordo com o site oficial do Dia Mundial dos Animais, a comemoração anual espera melhorar o bem-estar dos animais por todo o mundo. O objetivo: “O envolvimento está a crescer a uma taxa surpreendente e agora é amplamente aceite e celebrado de várias maneiras diferentes em muitos países, independentemente da nacionalidade, religião, fé ou ideologia política.”

Diz a lenda que São Francisco era capaz de falar com os animais, por isso é retratado em inúmeras obras de arte rodeado por animais. São Francisco nasceu em 1181 ou 1182 e morreu na noite de 3 de outubro de 1226.

Inicialmente, este dia foi celebrado por pessoas na Alemanha, Áustria e Suíça, mas em maio de 1931, numa reunião do Congresso Internacional de Proteção Animal em Florença, Itália, a proposta de Zimmerman de tornar o 4 de outubro o Dia Mundial dos Animais uma celebração universal foi unanimemente aceite e aprovado como uma resolução.

Atualmente mais de 1.000 eventos são realizados a cada ano. O Dia Mundial dos Animais tem 90 embaixadores em mais de 70 países, de Andorra e Austrália aos Estados Unidos e Zimbabué. Estes eventos vão desde a conscientização e educação, dias de abertura de abrigos, eventos de adoção de animais de estimação e serviços de bênção de animais.

Ativistas de todo o mundo aproveitam o dia para chamar a atenção de alguns dos desafios mais urgentes que os animais enfrentam, incluindo:

• Dezenas de milhões de animais de companhia entram em abrigos de animais, todos os anos, um pouco por todo o mundo. Muitos destes animais são abatidos por falta de apoio ou de famílias de acolhimento.

• O jornal Marine Policy afirma que cerca de 100 milhões de tubarões são mortos todos os anos por humanos; de acordo com o Arquivo Internacional de Ataques de Tubarões do Museu de História Natural da Flórida, os tubarões matam cerca de seis humanos a cada ano. Muitos tubarões são mortos durante a prática desumana de recolher barbatanas de tubarão.

• A cada ano, o Japão mata mais de 330 baleias minke, incluindo fêmeas grávidas. A Noruega e a Islândia também permitem a caça de baleias. As Minkes estão entre as criaturas mais bonitas do oceano.

• Os testes em animais há muito fazem parte dos campos da medicina e da cosmética e, infelizmente, alguns laboratórios mantêm os animais em condições horríveis e submetem-nos a experiências abusivas, tudo em nome do conhecimento científico e da inovação.

• As alterações climáticas afetam tanto humanos quanto animais, e o desflorestamento das florestas tropicais é um fator contribuinte significativo. Uma das práticas de desflorestamento mais prejudiciais é causada pela colheita do óleo de palma, que é encontrado em 40% a 50% dos produtos domésticos nos Estados Unidos.
Uma das espécies mais impactadas por essa tendência é o orangotango; mais de 90% do seu habitat foi destruído nas últimas duas décadas. Outros animais que estão a sofrer devido às alterações climáticas globais incluem muitas espécies ameaçadas de extinção, incluindo ursos polares, rinocerontes, elefantes e tigres.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...