Incêndios florestais na Austrália: 14 mil invertebrados perderam o habitat



Os incêndios de 2019-2020 na Austrália levaram a que 14 mil invertebrados perdessem o seu habitat, nomeadamente borboletas, besouros, vespas, formigas e moscas, alerta o novo relatório do Programa Nacional de Ciências Ambientais (NESP) da Austrália.

Do total de 1237 espécies altamente impactadas pelo fogo, 646 consideram-se prioritárias de avaliação mais aprofundada devido ao alto risco de mortalidade e de dificuldade de recuperação, entre as quais 60 se tornaram plausíveis para integrar a lista nacional de espécies ameaçadas – integrada no Environment Protection and Biodiversity Conservation Act -, e 99 precisam de ser estudadas urgentemente para analisar a sua distribuição. A entidade recomenda assim que estas espécies sejam estudadas com prioridade, a fim de se perceber o impacto real que estes eventos tiveram na suas populações, bem como para que sejam criadas medidas que promovam a sua recuperação.

Entre os animais que se recomenda uma atualização do estado atual de conservação estão a aranha Arbanitis horsemanae, a vespa Eristalopsis rubra, a mosca Scaptodrosophila sydneyensis, o besouro Cardiothorax alternatus e a borboleta Ogyris halmaturia. No mesmo documento, refere-se também que a espécie Pseudococcus markharvey pode ter sido extinta.

O número de animais afetados pode ainda ser superior, efere o cientista Jess Marsh ao jornal The Guardian, dado que existem várias espécies ainda pouco estudadas.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.