Itália está a pagar aos proprietários os custos de renovação a 110% a quem tornar a sua casa ecológica



Numa época em que é necessário mitigar os efeitos das alterações climáticas, a transformação das cidades em locais sustentáveis é uma tarefa premente. Os governos devem, por isso, ter um papel fundamental nesta transição, promovendo políticas que apoiem os cidadãos e contribuam para esta mudança.

Em Itália, o governo decidiu agir nesse sentido em 2020. Através da medida de incentivo “Superbonus 110%”, os proprietários ou empresas podem intervir nas  casas através de dois planos – o Super Ecobonus, que assenta na eficiência energética, e o Super Sismabonus, que se destina à adaptação sismo-resistente – sendo depois os custos de construção deduzidos em 110%.

Através deste apoio, os cidadãos podem substituir sistemas de aquecimento por sistemas centralizados, colocar isolamento término no edifício, instalar painéis solares, instalar um carregador doméstico, entre muitas outras soluções. Para que seja possível recorrer ao Superbonus 110%, os proprietários devem melhorar, no mínimo, duas classes energéticas da casa.

“A ideia do Superbonus nasce da vontade de enfrentar os dois grandes desafios do nosso tempo com uma única medida: por um lado, a emergência económica que vivem os nossos cidadãos e as nossas empresas, com milhões de desempregados e muitas crises empresariais; de outro, a emergência climática que coloca em risco a saúde e a sobrevivência de nosso planeta”, explica Riccardo Fraccaro, Secretário do Conselho de Ministros de Itália, em comunicado. “Esta é a nossa ideia de revolução: mudar os nossos hábitos e o nosso modo de vida, numa colaboração sem precedentes entre o público e o privado, entre o Estado e as empresas, entre os cidadãos e a administração pública. Somente colaborando com o mesmo objetivo a Itália poderá superar esta fase crítica, como fez no passado e sempre fará no futuro.”



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.