Já conhece as Cascatas de Sangue da Antártida?



No meio dos vales de McMurdo, na Antártida, existem umas cascatas que surpreendem qualquer um desde o primeiro avistamento: as Cascatas de Sangue. Tal como o nome indica, são umas cascatas onde corre água com uma cor avermelhada, que lembra exatamente sangue. Embora tenham sido descobertas em 1911 pelo geocientista Griffith Taylor, a origem da sua cor permaneceu um mistério durante muito tempo.

Em 2017 saiu um estudo da Universidade do Alasca em Fairbanks, no qual os cientistas explicam que se trata de um curso de água salgada que ficou preso há mais de 1 milhão de anos no glaciar Taylor. A água saiu do glaciar e corre até à superfície do lago Bonney (que tem um alto nível de salinidade), percorrendo uma distância de cerca de 91 metros. Quando a água salgada rica em ferro é libertada e entra em contacto com o ar, fica vermelha.

Outra questão para os investigadores estava no facto da água não congelar. Como explica a autora Erin Pettit, à medida que a água congela, liberta calor que acaba por aquecer o gelo frio que está à sua volta. Devido ao alto teor de sal, a água tem uma temperatura de congelamento mais baixa, sendo mais difícil de congelar. Assim, estas características permitem que a água continue a fluir no estado líquido, no interior do glaciar.

Foto: Erin Pettit, University of Alaska Fairbanks


Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.