Jacarta, a cidade que está a afundar mais rapidamente que qualquer outra

Jacarta, a capital da Indonésia, está a afundar mais rapidamente do que qualquer outra cidade no mundo. Devido aos crescentes impactos climáticos e às acções nocivas da humanidade, 40% de Jacarta está actualmente abaixo do nível do mar e continua a baixar cerca de 6 centímetros por ano.

Hidrólogos da Universidade da Indonésia dizem que um molhe de proteção poderia ajudar a salvar Jacarta e os milhões de cidadãos que consideram a cidade seu lar, de submergir ainda mais. No entanto, o aumento do nível do mar, relacionado com a variabilidade e as alterações climáticas, não são os únicos culpados desta crise, com explica em comunicado o Conselho Mundial da Água. Há registo de várias habitantes a fazer perfurações ilegais para ter acesso à água potável, drenando os aquíferos subterrâneos sobre os quais Jakarta se situa.

Questões hídricas são comuns na Indonésia, onde mais de 40 milhões de pessoas vivem sem acesso a fontes aperfeiçoadas de água potável. A solução poderá passar por “aumentar a disponibilidade e a resiliência ao assegurar nossos recursos hídricos envolve, entre outras coisas, a construção de reservatórios e a manutenção de infra-estruturas”, defende Benedito Braga, presidente do Conselho Mundial da Água.

“Além disso, deve haver a gestão e o uso racionais da água, o que significa que todos os sectores devem partilhar recursos de forma justa e incentivar cidadãos a serem eficientes com o uso da água em suas próprias casas. A indústria precisa reciclar e reutilizar água e garantir que a irrigação use métodos mais eficientes”, continua o responsável por esta instituição dedicada ao estudo da água.

O 8º Fórum Mundial da Água será realizado na capital brasileira, Brasília, entre os dias 18 e 23 de março de 2018, sob o tema “Partilhando Água”, à luz do papel do recurso na união das comunidades e na queda de barreiras.

Foto: via Creative Commons