Japão: OMS alerta para possibilidade de níveis elevados de radiação nos alimentos

A Organização Mundial de Sáude (OMS) admitiu hoje que o nível de radiação em alguns alimentos, no Japão, é um problema mais sério do que inicialmente se tinha previsto.

“[A situação] é muito mais séria do que se pensou nos primeiros dias, quando acreditávamos que este tipo de problema se podia limitar a uns 20 ou 30 quilómetros”, explicou o porta-voz da OMS para o Pacífico Oeste, Peter Cordingley.

De acordo com a Euronews, entre os alimentos mais afectados pelos danos provocados pelo sismo na central nuclear estão sobretudo o leite e os espinafres, muito comuns em Fukushima.

A estação televisiva adiantou inclusive que o Governo japonês já terá proposto a proibição da venda tanto de leite fresco como de espinafres produzidos na região de Fukushima. No caso destes últimos, os níveis de radioactividade são 27 vezes superiores aos legalmente estipulados.

Ao longo desta semana é provável que outras restrições sejam postas em prática, ainda que a decisão de vendas caiba a cada autoridade local e não ao Governo japonês.

“Se forem conhecidos mais relatórios como os de agora sobre a contaminação de vegetais e carne, talvez eu não deva beber água da torneira. Estou bastante assustada com a chuva – e tenho dúvidas se a chuva não me fará mal”, explicou à Euronews uma cidadã.

Ainda de acordo com os media, a China e a Coreia do Sul começaram já a controlar a contaminação radioactiva dos produtos alimentares importados do Japão.

O Governo japonês disse ainda que a água da Fukushima regista níveis de iodo radioactivo três vezes superiores ao limite legal, isto numa população a 40 quilómetros da central nuclear. Ainda assim, garantiu que não existe um risco iminente para a saúde.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php