Jovens irlandesas ganham prémio do Google com projecto agrícola revolucionário

Depois de 11 meses de experiências, um grupo de três jovens irlandesas – Ciara Judge, Émer Hickey e Sophie Healy-Thow – descobriu que as sementes tratadas com bactérias crescem 50% mais rápido que sementes não tratadas e na altura da colheita as sementes tratadas de cevada e aveia tinham um rendimento 70% superior.

Foi este o projecto, Combating the Global Food Crisis, que lhes valeu o primeiro prémio da Google Science Fair de 2014.

Com um gosto comum pela jardinagem, as raparigas resolveram experimentar os efeitos da rizóbia – uma bactéria com a capacidade de fixar o nitrogénio no solo, o que permite reduzir a necessidade de fertilizantes químicos – em plantas não leguminosas. Depois de experiências em 10.000 sementes de cevada e aveia, os resultados foram surpreendentes. Dois tipos de rizóbia mostraram um grande potencial para uso agrícola.

“Os resultados têm um potencial significante para aumentar os rendimentos das plantações e reduzir as perdas devido às condições atmosféricas adversas. Também oferecem oportunidades para reduzir a pegada ambiental da agricultura, ao reduzirem a necessidade de fertilizantes químicos. À medida que população mundial aumenta e a procura por cereais cresce, esta descoberta pode ser parte da solução para a crise alimentar iminente. Existe potencial para trabalhar esta área futuramente e pretendemos investigar mecanismos bioquímicos envolvidos no processo e realizar experiências mais extensivas”, escreveram as raparigas na submissão do projecto à Google Science Fair, cita o Inhabitat.

Embora de tenra idade, as três jovens conquistaram já vários prémios em concursos científicos, como uma competição nacional de ciência, como mais de 2.000 projectos submetidos, e representaram a Irlanda na European Contest for Young Scientists, em 2013.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...