KLM em projeto pioneiro. Garrafas de água vazias dos seus voos vão ser transformadas em ferramentas

As garrafas vazias são recolhidas no final de cada voo e transformadas em filamento, o material usado nas impressoras 3D. Esse processo significa que uma garrafa de água vazia pode acabar como parte de um equipamento impresso em 3D, poupando tempo e dinheiro à Engineering & Maintenance (E&M).

Da mesma maneira que as impressoras normais utilizam tinta, as impressoras 3D utilizam filamento. A KLM costumava comprar esse material a fornecedores externos. Mas, agora, as garrafas PET vazias dos seus voos são entregues a uma empresa de reciclagem, que as converte em grânulos de plástico de alta qualidade, o principal material do filamento. As toneladas de garrafas de plástico que são retiradas todos os anos dos aviões no aeroporto Schiphol de Amesterdão são, assim, transformadas nesse filamento.

A KLM visa reduzir o volume de seus resíduos em 50% em 2030 – face aos níveis de 2011. Esse objetivo vai ser alcançado produzindo menos resíduos globalmente e aumentando a quantidade que pode ser reciclada. Em 2018, a KLM reduziu os resíduos em 9%, sendo 28% do restante reciclado.

“Estamos continuamente a investir em produtos e processos sustentáveis e inovadores. Para os nossos clientes, para a sociedade e para os nossos próprios funcionários. É fantástico ver como somos capazes de produzir produtos úteis a partir de resíduos”, afirmou Ton Dortmans, Vice-Presidente Executivo de Engineering & Maintenance

Impressoras 3D na E&M

A Engineering & Maintenance da KLM já utiliza impressoras 3D há algum tempo, para acelerar os processos de reparação e manutenção. Foram, por exemplo, desenvolvidos tampões especiais para garantir que, durante a pintura das rodas dos Boeing 737, os aros das jantes não são também pintados.

A fita protetora já não é usada nos Serviços do Motor durante a manutenção das pás das turbinas, tendo sido substituída por uma capa impressa em 3D. E o utensílio criado para remover os compartimentos de bagagem superiores a bordo do Boeing 787, faz com que essa tarefa possa agora ser executada apenas por um mecânico em vez de dois.

Menor custo do filamento

Atualmente, a E&M utiliza diariamente cerca de 1,5 kg de filamento de alta qualidade. Dado que, agora, a KLM fornece garrafas PET como matéria-prima, o custo desse filamento caiu de 60 EUR/kg para apenas 17 EUR/kg. Ao trabalhar com a empresa de reciclagem Morssinkhof Rymoplast e o fabricante de filamentos Reflow, a KLM consegue assim não ser apenas inovadora no uso da impressão 3D, mas também tornar o processo circular.