Lightsource bp recebe “luz verde” para projeto da Central Solar do Paiva num investimento de 200 milhões



A Lightsource bp, joint venture de 50:50 com a bp e líder global em desenvolvimento solar, recebeu a Decisão de Impacte Ambiental (DIA) positiva relativa à instalação da Central Solar do Paiva. Este projeto de larga escala que a empresa se encontra a desenvolver em Portugal em articulação com os municípios e as comunidades locais ascende a uma potência total superior a 260 MW, que vai permitir gerar energia suficiente para mais de 100 mil lares por ano e representa um investimento global na ordem dos 200 milhões de euros.

De acordo com a Declaração de Impacte Ambiental, o projeto “contribui para a diversificação das fontes energéticas do país e para o cumprimento dos compromissos assumidos pelo Estado Português no que diz respeito à produção de energia a partir de fontes renováveis e à redução da emissão de gases com efeito de estufa (GEE), evitando a emissão de 157.575 toneladas de CO2 por ano”, sublinha a empresa em comunicado.

Segundo a mesma fonte, o investimento da Lightsource bp neste projeto inclui, também, a criação de emprego, a aquisição de serviços locais, melhorias nas infraestruturas, preservação da biodiversidade, promoção do património cultural e iniciativas comunitárias.

“É com entusiasmo que recebemos o resultado da Avaliação de Impacte Ambiental, um importante passo rumo à construção e posteriormente exploração do nosso primeiro projeto de grande escala em Portugal”, refere Miguel Lobo, Country Head Portugal da Lightsource bp, citado em comunicado.

“Devido à sua escalabilidade, aos curtos ciclos de implantação e ao facto de apresentar os menores custos de geração de eletricidade da história, a energia solar é a aposta segura para acelerar a descarbonização, promover o uso dos recursos endógenos e a diversificação de fontes de energia,  e um planeta mais sustentável para as gerações futuras, com um relevante contributo do nosso país. Para tal, esse caminho tem de ser feito já, e não podíamos estar mais felizes por fazer parte do processo”, acrescenta.

As alterações climáticas têm vindo a ser identificadas como uma das maiores ameaças ambientais, sociais e económicas que o planeta e a humanidade enfrentam na atualidade. Em Portugal, as potencialidades de aproveitamento da energia solar, são consideráveis e substanciais para a substituição dos combustíveis fósseis e para alcançar as metas do Plano Nacional de Energia e Clima para 2030.



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.