Projeto Literacia para a Floresta levou mais de 1700 alunos a descobrir a natureza



No ano letivo de 2021-2022, o projeto de Literacia para a Floresta da Liga para a Protecção da Natureza (LPN) levou mais de 1700 alunos a descobrir a natureza que os rodeia. O segundo ano do projeto contou com a associação dos municípios de Arronches, Braga, Leiria, Loulé, Maia, Sintra, Torre de Moncorvo, Torres Vedras e Vila Nova de Famalicão, que permitiram aos jovens usufruir de uma experiência enriquecedora que associa a sala de aula à natureza, levando-os a descobrir e valorizar as florestas da região onde habitam.

O Literacia para a Floresta tem por base o acompanhamento de cada turma de um ano letivo, dividindo-se em cinco ações: três teóricas com um caráter pedagógico, onde é apresentada a floresta enquanto ecossistema no mundo e em Portugal, a sua biodiversidade, os seus valores, os serviços que presta e as suas ameaças; uma saída de campo a uma floresta da região; e um encontro municipal, onde é feita uma avaliação do projeto com a participação de todos os envolvidos.

O elemento diferenciador deste projeto passa pelo trabalho contínuo com os alunos e por torná-los agentes ativos na preservação da floresta local, seja na sua identificação e exploração/descoberta ou até mesmo na criação de ações concretas e simples que poderão ser replicadas por cada um de nós”, explica Ana Sofia Ribeiro, coordenadora do Departamento de Sensibilização, Educação e Formação Ambiental da LPN e do projeto de Literacia para a Floresta.

As inscrições para o próximo ano letivo estão agora abertas e decorrem até setembro. Entidades como as comunidades intermunicipais e os municípios podem inscrever-se diretamente por e-mail, enquanto as escolas e os professores interessados terão de fazer passar o seu interesse pelos órgãos municipais.

Como acrescenta Rúben Oliveira, membro da Direção Nacional da LPN, no próximo ano letivo de 2022-2023, “além do módulo que temos vindo a implementar, iremos incluir um novo dedicado aos temas da perda da biodiversidade, escassez de recursos naturais e alterações climáticas, tendo sempre por base os ecossistemas florestais”.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.