Lixo deixado nos jardins de Lisboa ameaça festival Meo Out Jazz

O festival OutJazz

As garrafas trazidas de fora do festival e o lixo deixado nos jardins onde acontecem os concertos do Meo Out Jazz estão a pôr em perigo a continuação deste festival. A garantia foi dada por José Filipe Rebelo Pinto, um dos organizadores do festival, na página de Facebook do evento.

“O botellon que vem de fora não ajuda a pagar os músicos nem os DJ”, explica o responsável, citado pelo Sol. Rebelo Pinto afirma quinda que o público que frequenta os espectáculos tem deixado os jardins com tanto lixo que o esforço feito pelo organização para limpar tudo está a ser incomportável.

“Isto é insustentável para a organização e uma falta de respeito enorme por parte daqueles que o fazem, pois estão a matar o evento”, continuou o responsável.

Segundo a organização, existem duas soluções em cima da mesa: acabar com o evento ou começar a cobrar entradas. “O custo da limpeza está quase a chegar próximo do custo pago em músicos”, explicou.

Ainda assim, existe ainda a hipótese de o festival se manter nos mesmos moldes. Tudo depende, porém, do civismo do público. “Sugeria que aqueles que gostam do Meo Out Jazz nos ajudem a passar a mensagem e que defendam aquilo que é de todos nós. No dia seguinte ao evento existem outras pessoas que frequentam os jardins e não têm a culpa da falta de civismo por parte de alguns dos utilizadores do Meo Out Jazz”, escreveu Rebelo Pinto.

O Out Jazz surgiu em 2006, em Lisboa, e decorre entre Maio e Setembro, às sextas-feiras e domingos, em vários jardins de Lisboa.

Fotos: Facebook OutJazz

Deixar uma resposta

Patrocinadores