Madeira atinge 40% de produção de energia renovável este ano



A produção de energia elétrica a partir de fontes renováveis na Madeira vai atingir 40% este ano, indicou hoje o presidente do Governo Regional, referindo que estão previstos investimentos no setor na ordem dos 69 milhões de euros até 2026.

“Vamos aproveitar o PRR [Plano de Recuperação e Resiliência] para procedermos a um conjunto de investimentos muito importantes, no sentido de assegurar nos próximos anos que a Madeira produza 50% da sua eletricidade a partir de fontes renováveis”, disse Miguel Albuquerque.

O chefe do executivo madeirense falava durante uma visita às obras da Central de Baterias da Madeira, localizada no Complexo Industrial da Central Térmica da Vitória, na zona oeste do concelho do Funchal, que representa um investimento de 10,6 milhões de euros.

O projeto deverá estar concluído em junho deste ano, garantindo, a partir daí, uma produção de eletricidade oriunda de fontes renováveis na ordem dos 40%, nomeadamente fotovoltaica e eólica.

Miguel Albuquerque indicou que o objetivo do Governo Regional (PSD/CDS-PP) é atingir os 50% até 2026, com base em vários projetos financiados pelo Plano de Recuperação e Resiliência, como a remodelação das centrais hidroelétricas da Serra de Água (15 milhões de euros) e da Calheta (6 ME), o reforço das centrais de baterias da Madeira (12 ME) e do Porto Santo (10 ME) e a substituição de 150 mil contadores tradicionais por contadores inteligentes (21,5 ME).

“Vamos investir, nos próximos anos, 69 milhões de euros, com o objetivo de atingir 50% de produção elétrica a partir de fontes renováveis, garantir que a Madeira está na liderança nesta matéria, sobretudo nas regiões ultraperiféricas da Europa, reduzir a pegada ecológica e a emissão de gases com efeito estufa”, disse.

Todos os projetos no setor da energia na região autónoma são orientados pela Empresa de Eletricidade da Madeira (EEM), tutelada pelo Governo Regional, sendo o mais recente a Central de Baterias da Madeira.

A nova infraestrutura vai melhorar a eficiência do sistema eletroprodutor da ilha da Madeira, com recurso a baterias de tecnologia de iões de lítio e eletrónica de potência avançada, o que permitirá a otimização dos ativos de geração próprios e a integração de mais energia “verde”.

Trata-se de um investimento global na ordem dos 10,6 milhões de euros, cofinanciado pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO-SEUR), Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo de Coesão, num montante de cerca de 6,05 milhões de Euros.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.