Mais de 100 toneladas de peixes mortos aparecem na costa da Mauritânia

Mais de 100 toneladas de peixes mortos apareceram nos últimos dias, por razões desconhecidas, na costa atlântica a sul da capital da Mauritânia, Nouakchott, informou na segunda-feira o Instituto de Investigação Oceanográfica e Pesqueira do país.

O instituto enviou para a região uma equipa multidisciplinar para determinar as causas do sucedido e a verdadeira dimensão do incidente, mas, até ao momento, as investigações preliminares indicam que o nível de oxigenação da zona é reduzido, a acidez da água é elevada e a temperatura é invulgarmente alta para esta altura do ano, de acordo com a agência Efe.

Segundo dados do instituto, já se verificaram fenómenos semelhantes nas águas mauritanas, pelo menos, em 2005, 2008, 2010 e 2017.

Então, as causas foram imputadas aos despojos de pesca lançados à água por numerosas embarcações pesqueiras na zona, que contaminaram as águas, além do baixo nível de oxigénio causado pelas altas temperaturas e ausência de vento que chegaram a causar períodos de canícula acompanhados de forte precipitação.

Este ano, a Mauritânia registou uma quantidade inusual de chuvas, incluindo nas regiões onde, por estes dias, apareceram mortos entre 100 e 200 toneladas de peixe.

No que se refere ao incidente deste ano, aquela entidade já descartou a possibilidade de ser causado pela elevada poluição das águas, sem avançar, no entanto, outras hipóteses.

A pesca é, a par dos produtos mineiros, um dos pilares da economia da Mauritânia e atrai numerosos investidores estrangeiros, incluindo da União Europeia, China e Japão.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...