Mais de 27 mil compostores domésticos distribuídos em concelhos do Pinhal Interior



Mais de 27 mil compostores domésticos vão ser distribuídos gratuitamente por 11 concelhos do Pinhal Interior, no âmbito de um projeto de compostagem da empresa intermunicipal, que representa um investimento na ordem dos 1,3 milhões de euros.

De acordo com o presidente da Empresa Intermunicipal de Ambiente do Pinhal Interior (APIN), João Miguel Henriques, o projeto “Sistema Intermunicipal de Compostagem na região da APIN” prevê, a partir do próximo ano, a distribuição de 27.504 compostores domésticos pelos concelhos de Alvaiázere, Ansião, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, Góis, Lousã, Pampilhosa da Serra, Penacova, Penela e Vila Nova de Poiares (distrito de Coimbra).

Prevê também a entrega de 116 compostores comunitários, em estabelecimentos de ensino, instituições particulares de solidariedade social e centros operacionais da APIN.

O primeiro destes compostores comunitários será entregue hoje à tarde, ao Agrupamento de Escolas de Pedrógão Grande.

Durante a sessão de apresentação do projeto, que decorreu ao final da manhã no auditório do HIESE – Habitat de Inovação Empresarial nos Setores Estratégicos, em Penela, João Miguel Henriques realçou a sua “a extrema importância”, quer do ponto de vista económico como ambiental.

“É uma mais-valia do ponto de vista económico, na medida em que quanto menos resíduos indiferenciados enviarmos para aterro, menos custos vamos ter com as entidades em alta, que fazem a receção e tratamento desses mesmos resíduos. Simultaneamente, menos custos vamos ter com a recolha que fazemos todos dias, dos resíduos produzidos pela população”, sustentou.

Para além do impacto positivo que tal representa na fatura dos clientes, João Miguel Henriques, que também é presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Poiares, destacou a mais-valia do projeto do ponto de vista ambiental, uma vez que a compostagem permite a transformação dos resíduos orgânicos num composto que, para além de diminuir o depósito de resíduos em aterro, pode ser utilizado como fertilizante 100% natural.

Ao longo da sua intervenção, o autarca apontou ainda que o sucesso deste projeto depende de “um grande investimento em termos de divulgação e sensibilização junto da população”.

“Entendemos que os presidentes de junta vão ter aqui um papel muito importante na sensibilização das nossas populações para aderirem a este projeto. Só faz sentido estarmos a fazer este investimento se formos capazes de sensibilizar e convencer a população a aderir ao projeto”, acrescentou.

A distribuição dos compostores será acompanhada por uma campanha de comunicação e sensibilização ambiental, denominada “Valorize a Sua Terra”, que remete para o duplo sentido da valorização: por um lado o produto final da compostagem, que permite nutrir a terra; e por outro a qualidade de vida ganha com menos terrenos afetos ao confinamento técnico de resíduos.

O projeto, cujo investimento se aproxima dos 1,3 milhões de euros, é comparticipado a 85% pelo Fundo de Coesão (programa comunitário que apoia investimentos no domínio do ambiente e das redes transeuropeias na área das infraestruturas de transportes).



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.