Marte: o misterioso planeta vermelho comemora hoje o seu dia

Sempre envolto em conspirações e teorias populares que envolvem marcianos e vida inteligente extraterrestre, o planeta vermelho poderá ser a próxima conquista dos humanos e, quiçá, a sua casa.

Marte é o quarto planeta a contar do Sol e como o resto dos planetas do sistema solar (exceto a Terra), Marte tem o nome de uma figura mitológica – o deus romano da guerra. Além do seu nome oficial, Marte é conhecido como Planeta Vermelho por causa da cor avermelhada da sua superfície.

Acreditava-se que existia vida em Marte durante grande parte do século XIX. A razão por trás dessa crença era em parte engano e em parte imaginação. Em 1877, o astrónomo Giovanni Schiaparelli observou o que ele acreditava serem linhas retas na superfície de Marte.

Quando outros notaram essas linhas, alguns sugeriram que eram muito retas e só podiam ser obra de vida inteligente. A conclusão popular quanto à natureza dessas linhas, era simples: canais construídos para fins de irrigação. No entanto, com o desenvolvimento de telescópios mais poderosos no início do século XX, os astrónomos foram capazes de ver a superfície marciana com mais clareza e determinar que essas linhas retas eram meramente uma ilusão de ótica.

A grande quantidade de ficção científica escrita durante o século XX foi uma consequência direta da crença de que Marte possuía vida. Dos homenzinhos verdes aos raios da morte, os marcianos foram o foco de muitos programas de televisão e rádio, banda desenhada, filmes e romances.

Embora a descoberta da vida marciana no século XVIII eventualmente tenha provado ser falsa, Marte é, no entanto, o planeta mais hospitaleiro para a vida além da Terra. Como tal, missões planetárias recentes tentaram determinar se até mesmo o mais básico da vida existe na superfície do planeta. A missão Viking na década de 1970 conduziu investigações em solo marciano na esperança de detectar microorganismos. Embora inicialmente se acreditasse que a formação de compostos durante as investigações era resultado de agentes biológicos, foi determinado que esses compostos podem ser criados sem mecanismos biológicos.

Mesmo que os resultados apontem para a ausência de vida em Marte, os cientistas especularam que as condições são adequadas para a existência de vida abaixo da superfície do planeta.

Alguns factos interessantes sobre o planeta vermelho:

Marte é o quarto planeta a contar do Sol, o último dos planetas terrestres e está a cerca de 227.940.000 km do Sol.

O planeta tem o nome de Marte, o deus romano da guerra. Era conhecido pelos gregos antigos como Ares, o seu deus da guerra. Acredita-se que isso seja devido à cor vermelho-sangue do planeta, que também era usada por outras culturas antigas. Astrónomos chineses chamam a Marte a “estrela de fogo”, enquanto os antigos sacerdotes egípcios chamavam-no de “Seu Desher”, que significa “o vermelho”.

A massa de terra de Marte e da Terra é muito semelhante. Apesar de Marte ter apenas 15% do volume e 10% da massa da Terra, na verdade tem uma massa de terra semelhante porque a água cobre cerca de 70% da superfície da Terra. A gravidade da superfície de Marte é cerca de 37% da gravidade encontrada na Terra. Isso significa que em Marte poderiamos, em teoria, saltar 3x mais alto do que na Terra.

Pedaços de Marte foram encontrados na Terra. Acredita-se que vestígios da atmosfera marciana estavam dentro de meteoritos que o planeta ejetou. Esses meteoritos orbitaram o sistema solar por milhões de anos entre os outros objetos e detritos solares antes de finalmente entrar na atmosfera da Terra e cairem no nosso planeta. O estudo deste material permitiu aos cientistas descobrir mais sobre Marte antes de lançar missões espaciais.

Marte já foi considerado o lar de vida inteligente. O astrónomo italiano Giovanni Schiaparelli vislumbrou linhas retas que, segundo ele, só poderiam ter sido feitas por vida inteligente. No entanto, mais tarde foi demonstrado que era uma ilusão de ótica mas o mito estava criado.

A montanha mais alta conhecida no sistema solar está em Marte. Olympus Mons é um vulcão de 21 km de altura e 600 km de diâmetro, formado há biliões de anos. Cientistas encontraram muitas evidências recentes de lava vulcânica, o que sugere que Olympus Mons ainda pode estar ativo. É a segunda montanha mais alta de todo o sistema solar, encimada apenas pelo pico central Rheasilvia no asteróide Vesta, que tem 22 km de altura.

Marte experimenta enormes tempestades de poeira – as maiores do nosso sistema solar. Isso ocorre devido ao elforma liptica da órbita do planeta em torno do sol. O caminho da órbita é mais alongado do que muitos dos outros planetas e esta órbita oval resulta em violentas tempestades de poeira que cobrem todo o planeta e podem durar muitos meses.

O Sol parece ter cerca de metade do seu tamanho e metade da Terra quando visto de Marte. Quando Marte está mais próximo do Sol na sua órbita, o hemisfério sul aponta para o Sol e isso causa um verão muito curto, mas extremamente quente. No norte, o inverno é breve, mas frio. Quando o planeta está mais distante do Sol, Marte experimenta um verão longo e ameno porque o hemisfério norte aponta para o sol.

Com exceção da Terra, Marte é o mais hospitaleiro para a vida – uma série de missões espaciais planeadas para a próxima década devem aumentar ainda mais a nossa compreensão de Marte e quanto terá potencial para vida extraterrestre, bem como se pode ser um planeta viável para uma colónia.

Marcianos, também conhecidos como extraterrestres de Marte, são personagens comuns em livros e filmes de ficção científica. Este facto torna Marte um dos planetas mais populares e comentados do sistema solar.

Marte leva 687 dias terrestres para orbitar o Sol, com o seu raio de órbita de 227.840.000 km.

Marte é o único outro planeta além da Terra que possui calotas polares. O limite norte é chamado de Planum Boreum, com Planum Australe no sul. Água gelada também foi encontrada sob as calotas polares de Marte.

Marte tem estações como a da Terra, mas duram o dobro. Isto ocorre porque Marte está inclinado no seu eixo em cerca de 25,19 graus, que é semelhante à inclinação axial da Terra (22,5 graus).

A órbita de Marte é a mais excêntrica dos oito planetas. Isto significa que é o caminho de órbita menos circular dos planetas.

As duas luas de Marte, Fobos e Deimos, foram descritas no livro ‘Gulliver’s Travels’ do autor Jonathan Swift – 151 anos antes de serem descobertas.

Marte não tem um campo magnético – embora alguns cientistas acreditem que já existiu há cerca de 4 mil milhões de anos.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...