McDonald’s desenvolve projeto sustentável, solidário e 100% português



A McDonald’s Portugal recicla as suas fardas antigas e dá-lhes um fim de vida útil através de um projeto de economia circular com forte vertente solidária, informou a empresa em comunicado.

Segundo a mesma fonte, a transformação das fardas antigas da McDonald’s permite a doação de 5.500 sacos para os Kits de Acolhimento de Higiene e Conforto que a Fundação Infantil Ronald McDonald entrega a famílias que acompanham as suas crianças internadas, em 7 hospitais em Portugal. O projeto de reciclagem das antigas fardas, 100% português, acontece na sequência da Semana Europeia de Prevenção de Resíduos, que este ano consciencializou para a redução, reciclagem e reutilização de resíduos têxteis.

Após a atualização das fardas da marca, estreadas pelos 9.500 colaboradores em junho de 2022, a McDonald’s Portugal deu início ao processo de reciclagem das antigas fardas com o objetivo dar um final de vida útil a estes materiais, transformando-os num objeto útil: sacos de tecido reutilizáveis. Através de um processo totalmente feito em Portugal, a McDonald’s Portugal implementa, assim, mais um projeto de economia circular com impacto ambiental e social, convertendo um potencial resíduo têxtil num novo objeto útil, produzido a partir de matérias-primas 100% recicladas.

Este projeto de responsabilidade ambiental e social da marca foi possível “graças à rede de parceiros nacionais da McDonald’s, juntando-se aos fornecedores de longa data da marca um novo parceiro português”, sublinha a empresa.

O processo de reciclagem teve início com a recolha de mais de 18 mil fardas a partir de todos os restaurantes do país pela HAVI, o operador logístico da marca. A transformação das fardas antigas, que inclui várias etapas, entre elas um processo manual de triagem de materiais e de fiação de um novo tecido, sem qualquer tingimento, ficou a cargo da Recutex – Recuperados Têxteis, o mais recente parceiro nacional da McDonald’s Portugal. O processo culmina na concretização de sacos reutilizáveis, contando com a empresa portuguesa HR Group, também responsável pela produção das mais recentes fardas da McDonald’s Portugal, estreadas em junho deste ano.

5.500 sacos para famílias com crianças internadas em 7 hospitais em Portugal

Os 5.500 sacos produzidos até ao momento, resultantes deste processo de reciclagem das fardas antigas, destinam-se à Fundação Infantil Ronald McDonald para apoiar, especificamente, a composição de Kits de Acolhimento de Higiene e Conforto, entregues pela instituição a famílias que acompanham as suas crianças internadas em 7 hospitais em Portugal.

Apenas este ano, foram e já entregues mais de 3.500 Kits ao Hospital D. Estefânia, Hospital de Santa Marta, Hospital de Santa Maria e Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca, em Lisboa; ao Hospital de São João e IPO, no Porto; e ainda, ao Hospital Pediátrico de Coimbra, abrangido neste projeto desde outubro deste ano. A doação dos 5.500 sacos reutilizáveis permitirá à Fundação garantir a entrega de Kits de Acolhimento de Higiene e Conforto a famílias nos hospitais referenciados durante, pelo menos, um ano.

O projeto de reciclagem das fardas não é a única iniciativa de sustentabilidade e economia circular de retribuição da McDonald’s Portugal para a Fundação Infantil Ronald McDonald: em 2010 a McDonald’s Portugal desenvolveu e implementou um sistema de gestão de óleos alimentares usados através do qual assegura 100% da recolha seletiva deste resíduo – cerca de 750 toneladas por ano. Os óleos usados na operação da McDonald’s são posteriormente utilizados para a produção de Biodiesel, sendo o valor resultante da venda deste resíduo revertido para a Fundação Infantil Ronald McDonald.

Ao longo dos 12 anos de projeto, já foram recolhidas mais de 5.000 toneladas de óleos alimentares usados e angariados mais de 1,17 milhões de euros para a Fundação, apoiando a continuidade dos seus projetos: Casas Ronald McDonald, Espaço Familiar Ronald McDonald e Sala de Brincar Ronald McDonald.



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.