Ministro do MAAC revela reforço da vigilância dos incêndios

Em tempos de pandemia o país não parou, e várias entidades foram obrigadas a fortalecer e criar novas medidas de forma a corresponder à crise atual e salvaguardar a segurança de todos. Os incêndios de verão são uma preocupação do Governo, razão pela qual os trabalhos de gestão e preparação para os mesmos não pararam e têm se vindo a adaptar.

O Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Matos Fernandes, revelou que está a haver um reforço da vigilância para prevenir e “para assegurar que um incêndio seja combatido no menor período de tempo”, não existindo portanto nenhuma redução de meios humanos no combate aos fogos. Surge neste contexto um novo plano de mitigação da Covid-19 no Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais, que passa por um protocolo de colaboração com a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas, um programa de reforço de disponibilidade das Equipas de Sapadores Floresta e de uma equipa Mecanizada de Resposta Rápida do ICNF para estabilização de emergência no período pós-evento.

Foram também reforçados os meios técnicos, através da aquisição de 12 drones divididos por seis equipas, que “podem voar entre seis a oito horas, num raio de ação de 100 quilómetros a partir do ponto de onde é comandado”. As cerca de sete mil pessoas que estarão no terreno serão coordenadas por uma única entidade, a Guarda Nacional Republicana (GNR).

É esperado que, embora exista uma maior disponibilidade de meios para vigilância, os cidadãos cumpram com a sua parte e respeitem as normas, evitando comportamentos negligentes.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...