Montemor-o-Velho investe em projeto de contenção energética



A Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, no distrito de Coimbra, está a avançar com um investimento, em conjunto com a E-Redes, para fazer face à crise energética.

“Depois da reunião que tivemos com a E-Redes”, esta empresa distribuidora de energia “está a medir os nossos consumos”, para “fazer um projeto connosco. Nós desafiámos para um projeto inovador de ataque a esta crise energética”, disse hoje à agência Lusa o presidente da Câmara de Montemor-o-Velho, Emílio Torrão.

Depois de medidos os consumos, os locais de maior consumo energético serão alvo de uma intervenção, custeada pelo Município ou com soluções tecnológicas propostas pela E-Redes.

“Todas as luminárias [LED] que eles [E-Redes] iriam colocar ao longo do ano” serão concentradas “nos locais onde há mais consumo”, indicou o autarca.

A ideia é redirecionar as luminárias ‘LED’ a que Montemor teria direito, que iam ser postas em continuação de linha nas freguesias, para locais onde se vier a verificar que estão a sobrecarregar o consumo no concelho, explicitou.

Esses locais, adiantou, estão neste momento a ser identificados, tanto pela Câmara Municipal daquela vila do Baixo Mondego, como pela E-Redes.

Noutros casos, a autarquia vai assumir o investimento, como é o caso da substituição das luminárias existentes nos parques de negócios por “Smart IP”, ou seja, luminárias inteligentes.

O presidente da Câmara explicou ainda que algumas das luminárias vão ser retiradas de “alguns sítios”, onde “não estão a ser úteis”, para serem redirecionadas para outros locais, “substituindo as de mercúrio e de sódio”.

Questionada pela Lusa, a diretora de Departamento de Administração Geral e Finanças da autarquia, Andreia Lopes, deu nota de que este projeto vai começar a ser desenvolvido “no terreno” no primeiro trimestre do próximo ano.

A Câmara Municipal de Montemor-o-Velho implementou medidas “drásticas” de contenção energética, de forma a dar o “verdadeiro exemplo” de poupança.

Uma das medidas passa por desligar, nos edifícios municipais, a iluminação exterior decorativa, a partir das 23:00 e relativamente à iluminação de Natal, ser desligada às 23:00, existindo apenas essa iluminação das 18:00 às 23:00.

Adotar comportamentos com vista a uma maior utilização de luz natural, a regulação da temperatura dos equipamentos de climatização, assim como, a restruturação de espaços, por forma a evitar consumos de energia em múltiplas salas/espaços com reduzida utilização, são outras das medidas.



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.