Mudanças climáticas: vencer a batalha sugando o CO2 da atmosfera

O mundo tem dióxido de carbono (CO2) a mais na atmosfera, e são necessárias medidas drásticas para evitar mudanças climáticas catastróficas. A não ser que os países unam esforços como nunca antes se viu (nem quando foi preciso tomar medidas urgentes para salvar a camada de ozono) vamos precisar de uma forma para retirar ativamente CO2 da atmosfera.

As tecnologias para tal são praticamente teóricas por nunca terem sido implementadas em larga escala, e até agora pensava-se que o custo de retirar CO2 da atmosfera seria insuportável. Mas a startup Global Thermostat anunciou que a sua tecnologia permite sugar a um custo de apenas 100 dólares por tonelada, com a possibilidade para baixar ainda mais, para os 50 dólares por tonelada. Se isto se concretizar, será uma arma poderosa para nos ajudar a controlar o clima.

Uma das formas que a empresa engendrou para conseguir preços baixos foi vender o CO2 capturado a uma empresa de bebidas gaseificadas — o gás presente neste tipo de bebidas é CO2 adicionado. E o dinheiro angariado pela venda vai todo no sentido de reduzir os custos operacionais.

A primeira central da Global Thermostat está a ser construída no Alamama e irá retirar CO2 da atmosfera a um custo de 150 dólares/tonelada. Espera-se que tenha uma capacidade de apenas 4 mil toneladas de CO2/ano. É muito pouco mas os planos incluem construir mais centrais e começar a retirar milhões de toneladas de CO2 da atmosfera, ou o equivalente a eliminar 60 milhões de carros da estrada.

Esperemos que a tecnologia da startup seja um sucesso porque todas as boas notícias no combate às emissões de CO2 são neste momento necessárias para vencermos esta dura batalha que temos pela frente.