Município de Soure promove recolha seletiva de resíduos porta-a-porta



O município de Soure vai promover um projeto-piloto de recolha seletiva de resíduos porta-a-porta que numa primeira fase abrange quase 700 alojamentos, anunciou ontem a autarquia.

Em comunicado, a Câmara Municipal, presidida por Mário Jorge Nunes, afirma que “serão distribuídos cinco ecopontos por cada habitação destinados à reciclagem” de papel, cartão, vidro, plástico, metais, biorresíduos e lixo indiferenciado.

“O município de Soure tem procurado aperfeiçoar a sua ação no que toca ao meio ambiente, principalmente na recolha e encaminhamento de resíduos, com especial relevo para a reciclagem e no desenvolvimento sustentável”, adotando conceitos como “otimização de recursos, redução de desperdício e responsabilidade” nas boas práticas ambientais.

Segundo a Câmara de Soure, no distrito de Coimbra, o projeto, nesta fase, “irá abranger apenas a vila Soure, correspondendo a 679 alojamentos”.

“Posteriormente, os resíduos serão recolhidos ao domicílio em dias previamente estipulados pela entidade gestora em baixa, o município, e pesados no ato da recolha, sendo entregues na entidade gestora em alta”, a ERSUC – Resíduos Sólidos do Centro.

Futuramente, o objetivo da autarquia “é implementar o sistema PAYT (“Pay-As-You-Throw”), em que a taxa de resíduos deixará de ser indexada à fatura da água e em que o consumidor pagará em função dos resíduos que produzir e que colocar no contentor do lixo indiferenciado”.

“Ou seja, quanto mais reciclar, menos pagará”, explica a Câmara Municipal de Soure.

No geral, os sistemas PAYT incentivam os cidadãos, por via financeira, a promover “a separação na origem e aumentar as taxas de recolha seletiva”.

“Têm sido efetuados diversos investimentos, nomeadamente através da otimização e reforço das redes de recolha seletiva existentes, que se traduzem na aquisição de ecopontos, contentores de recolha seletiva e viaturas de recolha seletiva”, salienta o município.

No concelho de Soure, “já se encontra uma equipa técnica a sensibilizar os munícipes da área abrangida para a adesão a este projeto, bem como prestando esclarecimentos e sensibilizando para a realização de reciclagem”.

“Este projeto é uma forma de promover a realização de reciclagem, bem como reduzir os resíduos encaminhados para aterro e uma alternativa de pagamento mais justa, beneficiando quem mais reciclar”, adianta.

A medida, segundo a nota, “enquadra-se nas políticas ambientais e de educação para a sustentabilidade do município, que dispõe também de locais próprios para a deposição de todos os tipos de resíduos” em todas as freguesias.

O executivo de Mário Jorge Nunes sublinha que, ao incentivar “comportamentos ambientalmente responsáveis”, está a promover “um concelho mais limpo e sustentável, contribuindo para maior qualidade de vida dos residentes e gerando também mais atratividade para o turismo, fatores que, consequentemente, alavancam a economia local”.



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.