O que esperar da “Cimeira Um Planeta”, que começa amanhã em Paris?

Fazendo a ponte entre as negociações climáticas da Conferência das Nações Unidas (COP23) realizada em Bona, sob a presidência de Fiji e a COP24 em 2018, na Polónia, a Cimeira Um Planeta (One Planet Summit), a 12 de Dezembro em Paris, será uma oportunidade para comemorar o 2º ano do Acordo de Paris com Chefes de Estados e de Governo. Para a associação ambientalista Zero, esta será uma oportunidade única para avançar, não apenas com palavras e cerimónias, mas desencadeando uma acção climática ampliada por todos os actores, com protagonismo para os países participantes.

Emmanuel Macron, presidente francês será o anfitrião desta cerimónia, que contará também com a presença de Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres e do Presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, representando as duas outras organizações co-organizadoras do encontro a par do Governo Francês.

O financiamento para a acção nas alterações climáticas, os negócios sustentáveis, a acção local e regional pelo clima e as políticas para uma transição ecológica inclusiva serão os quatro grandes pilares em discussão na cimeira.

Para a associação ambientalista Zero, a Cimeira Um Planeta pode gerar uma “onda fijiana” para o Diálogo Talanoa de 2018 adoptado na COP23 e definir um tom ambicioso para o ano que aí vem. No calendário de 2018 surgem eventos muito relevante no panorama internacional, caso do G20, do G7, a Cimeira Global de Acção Climática em São Francisco e a COP24, onde os países deverão decidir aumentar os compromissos até 2020.

A Zero, que estará presente no evento em Paris, traça alguns pontos de considera urgente serem debatidos nesta cimeira. Para esta associação, é urgente “mobilizar o mundo para apoiar os países mais vulneráveis e para reduzir urgentemente as emissões”. O Acordo de Paris não foi esquecido, com a associação a lembrar que “a única maneira de celebrar o 2º aniversário do Acordo de Paris é honrar o seu mandato”.

Em comunicado, a Zero alerta ainda que não tempo nem dinheiro a desperdiçar, uma vez que “para as pessoas que sentem as consequências das alterações climáticas, das Filipinas a Porto Rico, a cada minuto, cada cêntimo, cada fracção de aumento do aquecimento é já uma questão de vida ou morte.”

A Cimeira Um Planeta acontece amanhã entre as 9h e as 19h, em Paris, e contará com a presença de presença do Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres e do Presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim. Portugal estará presentado pelo ministro do ambiente, João Matos Fernandes e pelo Primeiro-Ministro, António Costa, que fará uma intervenção durante a tarde.

Foto: via Creative Commons 

Patrocinadores