O Smart Container já tem uma irmã mais nova: a Greenbox

Uma equipa de investigadores do Departamento de Engenharias da Escola de Ciências e Tecnologias da UTAD (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro) está a desenvolver uma caixa ecológica que irá permitir separar a gordura dos óleos alimentares que fica na água da lavagem da loiça – e armazená-la para a produção de biodiesel.

Esta caixa – que já foi baptizada de Greenbox – está a ser testada na cantina do edifício de Ciências Florestais daquela universidade, sendo que se encontra agora na fase de optimização do sistema de monitorização do nível de gordura da caixa.

“A Greenbox é colocada debaixo da pia e a ideia é que, da filtragem que a caixa faz, saia a água mas não a gordura”, explicou o mentor do projecto, João Barroso.

Este projecto vem na sequência de outro bastante conhecido e premiado – e a que a equipa de investigadores chamou Smart Container –, cuja tecnologia foi patenteada no final de 2008. O protótipo, construído sem qualquer financiamento externo, valeu à UTAD um quarto lugar no Imagine Cup, concurso de tecnologia da Microsoft.

O Smart Container tem como objectivo “a recolha de óleos alimentares usados nos restaurantes e cantinas”, assim como a promoção de “um sistema que se adaptasse à recolha” de óleo nas casas particulares. Esta última fase, apesar de não ter chegado a avançar – por falta de financiamento – , levou a que a Filtaporto, uma empresa da Maia, se interessasse pelo projecto.

Assim, esta empresa irá fazer parte do consórcio de desenvolvimento da Greenbox, sendo que, nos próximos três anos, o projecto será também financiado em 450 mil euros pelo QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional).

A comercialização do lava-loiças ecológico será feita através de uma spin-off que será criada no início próximo ano – isto apesar de haver já interessados em comprar o produto.

“Temos [ainda] uma perspectiva de internacionalização, [através] de uma parceira com a Universidade de Malta. A ilha tem uma frota de autocarros que funciona a biodiesel, e um sistema que organizasse a recolha de óleos usados seria excelente”, revelou João Barroso ao semanário Sol.

Conheça melhor o projecto Smart Container neste vídeo.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...