Obra de 2,6ME vai reforçar fiabilidade da adução de água a Beja



A empresa Águas Públicas do Alentejo (AgdA) vai investir cerca de 2,6 milhões de euros na empreitada de reforço da fiabilidade do sistema de abastecimento de água a Beja, beneficiando “mais de 26 mil habitantes do concelho”.

O contrato da empreitada de Reforço da Fiabilidade da Adução a Beja foi assinado ontem, nos Paços do Concelho de Beja, entre a AgdA, ligada ao grupo Águas de Portugal, e a empresa Gr4PT, num investimento total de 2.633.776 euros.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a AgdA explicou que a empreitada tem “um prazo de execução de 365 dias” e contempla “a execução de uma nova adução à cidade”, entre a estação de tratamento de água (ETA) da Magra e o reservatório dos Falcões.

O projeto inclui também um novo sistema elevatório, “composto por estação elevatória, ampliação da reserva do reservatório dos Falcões e uma adução em conduta elevatória até ao reservatório da Conceição”, assim como “a substituição das condutas elevatórias na saída da estação elevatória da Pia Quebrada para a cidade” de Beja.

A execução “de desvio” da conduta adutora da ETA do Roxo-Reservatório da Atalaia em Santa Vitória e “a substituição de troço” da conduta adutora entre as localidades de Santa Vitória e Mombeja também fazem parte da empreitada.

Segundo a AgdA, “com estas importantes intervenções será garantida uma maior fiabilidade da adução [de água] à cidade de Beja, com duas aduções independentes às reservas do centro da cidade”.

Este reforço “vem complementar a fiabilidade que já tinha sido alcançada com as três origens de água atualmente existentes”, nomeadamente as captações de Terras Frias e as ETA do Roxo e da Magra, concluiu a empresa.



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.