Oceanógrafa Sylvia Earle diz que “próximos dez anos vão moldar os 10 mil seguintes

A oceanógrafa Sylvia Earle destacou hoje que “os próximos dez anos vão moldar os próximos dez mil”, porque o planeta está “num ponto de viragem” e é essencial agir agora para o proteger.

“Os próximos dez anos vão moldar os próximos dez mil, dependendo do que fizermos e de como o fizermos”, defendeu hoje a oceanógrafa Sylvia Earle, por videoconferência, a partir do Faial, na cerimónia de abertura da Glex Summit em Ponta Delgada.

A cimeira de cientistas e exploradores acontece hoje, no Teatro Micaelense, depois de ter passado também por Lisboa.

Sylvia Earle começou por lembrar a designação dos Açores como ‘hope spot’ (local de esperança) para a preservação dos oceanos, juntando-se a “uma rede com mais de 130 sítios em todo o mundo, onde comunidades e ativistas estão a chegar-se à frente para proteger o mar e fazerem o que podem, individualmente e em conjunto, para criar uma rede de apoio ao oceano”.

Aproveitou também para “celebrar as ações que Portugal e os Açores estão a tomar para estender significativamente a proteção da parte azul de Portugal e dos Açores”.

“Sabemos hoje o que não se podia saber quando Vasco da Gama atravessou o Atlântico e viajou pelo mundo pela primeira vez (…). Alguns dizem que essa foi a maior época de descobertas da humanidade. Agora sabemos que a maior época de descoberta está só a começar”, prosseguiu.

A cientista referiu que os “exploradores no céu já não estão só a olhar para o universo, mas a olhar de volta, para o milagre azul, a nossa casa”, e lembrou que “somos os beneficiários de todo o conhecimento” que foi sendo adquirido.

“Agora sabemos o que os nossos antepassados não podiam saber”, reiterou, destacando que o planeta está num “ponto de viragem” em relação ao “clima, com a poluição, em relação à conservação da vida selvagem e à perda de biodiversidade”.

De acordo com Sylvia Earle, cientistas e exploradores estão a procurar, e a encontrar, os “últimos lugares intactos”, fazendo força para que estes sejam protegidos.

“Nunca mais vai haver uma oportunidade para agir que vão salvar a Terra, este planeta. Sabemos o que fazer: abraçar o mundo natural, com cuidado, cuidar da diversidade da vida, da vida do oceano, do planeta vivo, como se as nossas vidas dependessem disso, porque, claro, dependem”, rematou.

Pela segunda edição da Glex Summit passaram nomes como os ex-astronautas norte-americanos Alan Stern e Rusty Shweickart, o ilusionista norte-americano David Blaine e a poeta Amanda Gorman, conhecida por ter lido um poema na tomada de posse do Presidente norte-americano, Joe Biden.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...