Os golfinhos-rotadores estão a ajudar a salvar os recifes de coral



Os golfinhos-rotadores (Stenella Longirostris) estão a contribuir para salvar os recifes de coral através de uma coisa muito específica: as suas fezes. A descoberta parte de uma investigação, coordenada pela Zoological Society London (ZSL), que descobriu que estes mamíferos têm um papel importante no aumento da produtividade e resiliência destes ecossistemas nas Maldivas e no Arquipélago de Chagos.

Os golfinhos entram nas lagoas durante a manhã, onde ficam para descansar, e à tarde saem para procurar alimento, o que se prolonga durante a noite. Muito do seu alimento vem da zona mesopelágia do oceano, que se situa entre 200 a 1000 metros de profundidade. Durante o seu descanso nas lagoas estes produzem cerca de 288 kg de nitrogénio, e ao irem à casa de banho nos atóis estão a depositar nutrientes vitais nos corais.

“Ao analisar mais de trinta anos de observações visuais de golfinhos-rotadores, bem como 6 meses de gravações acústicas, confirmámos que esta espécie é um viajante diário de áreas offshore para águas rasas. Os golfinhos são alimentam-se na profundidade mas regressam às lagoas para descansar, que é quando depositam cerca de metade do seu excremento crucial e rico em nutrientes”, explica Tom B Letessier, autor principal do estudo.

O co-autor Charles Anderson, acrescenta ainda: “Os rotadores são os golfinhos mais abundantes do Oceano Índico tropical. Embora estejam bem protegidos nas Maldivas e no Arquipélago de Chagos, estão sujeitos a altos níveis de capturas acessórias na pesca com redes de emalhar noutras partes da região. Este estudo, que demonstra a importância potencial dos golfinhos-rotadores para a saúde e resiliência dos recifes de corais, ressalta a necessidade de melhorar a conservação dos cetáceos e a gestão de pescas em todo o Oceano Índico”.





Notícias relacionadas



Comentários
Loading...