PAN e Organização IRA manifestam-se hoje no Campo Pequeno contra a violência animal

O PAN – Pessoas-Animais-Natureza e a organização Intervenção e Resgate Animal (IRA) manifestam-se hoje junto à porta da Praça do Campo Pequeno, em Lisboa, contra a violência animal. Em causa está a Corrida de Touros que se realiza esta noite em homenagem ao cavaleiro João Moura, e o facto do próprio ter sido acusado de vários crimes de maus tratos a animais, um processo que atualmente ainda está a decorrer.

O PAN considera esta ação “incompreensível” e define João Moura como “alguém que, além da sua atividade habitual de torturar touros e cavalos na arena, recentemente indignou o país ao deixar os seus cães morrerem à fome”. O partido relembra assim a detenção levada a cabo em 2020 na sua herdade, na qual 18 cães da raça Galgo foram retirados a João Moura por se apresentarem subnutridos e com falta de cuidados.

Ambos criaram um evento no Facebook (PAN e IRA) para apelar à consciências e à aderência dos portugueses, contra o evento.

“Quase 50 galgos não perderam a vida graças a uma patrulha da GNR de Monforte, sendo que 18 dos quais tiveram de ser imediatamente transportados para tratamentos veterinários”, pode ler-se na publicação do IRA.

Simultâneamente, o PAN afirma em comunicado que “Os animais podem não ter voz, mas têm-nos a nós. Quinta-feira, 26 de agosto, a partir das 19h30, marcaremos presença à porta do Campo Pequeno para mostrar a nossa indignação e exigir ao Governo e à Câmara Municipal de Lisboa que coloquem de imediato um ponto final na violência animal”.

 

Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.