Ponte de Lima não recorre ao apoio do Estado porque tem €13,5 milhões (R$34,3 milhões) no banco

Há notícias assim, que nos chegam em contraciclo com a actualidade diária e que nos colocam um sorriso nos lábios e esperança no futuro. Segundo o presidente da câmara de Ponte de Lima, Victor Mendes, o município não irá recorrer ao apoio disponibilizado pelo Estado porque, para além de não ter dívidas, Ponte de Lima tem €13,5 milhões (R$34,3 milhões) no banco.

“[A câmara de Ponte de Lima] paga aos fornecedores, em média, a 17 dias. Não tem dívidas [ou problemas de tesouraria]”, explicou o responsável.

O Estado português, recorde-se, colocou à disposição das autarquias cerca de €1000 milhões (R$2,5 mil milhões).

“Não precisamos disso [apoio do Estado], felizmente. Temos disponibilidade e saúde financeira para apoiar os nossos cidadãos, instituições sociais e empresas nesta altura difícil”, sublinhou o autarca, eleito em 2009.

Os dados mais recentes do município, relativos ao mês passado e que são públicos, identificam um resultado positivo (excedente) de 13,5 milhões de euros (R$34,3 milhões).

“A lei dos compromissos há muito que é aplicada em Ponte de Lima, porque só avançamos com determinados projectos quando temos disponibilidade financeira para tal. Por isso, o que poderá mudar para nós é apenas a parte funcional e não a financeira”, sublinhou Victor Mendes, garantindo que o concelho “é um bom exemplo nacional”.

Deixar uma resposta

Patrocinadores