Populações de lince-ibérico em Portugal e Espanha continuam a crescer



As populações de lince-ibérico (Lynx pardinus) continuam a crescer ao longo dos anos: em 2021 foram recenseados 1.365 exemplares em toda Península Ibérica. Os resultados são apresentados agora pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), de acordo com o censo de 2021 da espécie em Portugal e Espanha, desenvolvido pelas Administrações de Conservação da Natureza dos dois países, com o apoio das Organizações Não Governamentais.

Registaram-se treze núcleos populacionais de linces, dos quais doze se situam em Espanha – cinco núcleos em Andaluzia, três em Castilla-La Mancha e quatro na Extremadura – e um em Portugal, no Vale do Guadiana. É em Espanha que se encontra a maior parte dos linces-ibéricos, um total de 1.156 indivíduos, tendo-se registado 519 na Andaluzia, 473 em Castilla-La Mancha e 164 na Extremadura. No sudeste de Portugal, encontram-se 209 indivíduos da espécie. Durante a época de 2021 nasceram 500 crias em toda a região.

Em Portugal, contabilizaram-se 139 indivíduos adultos e jovens, dos quais 78 são machos e 61 são fêmeas, e ainda 31 fêmeas reprodutoras, que deram à luz 70 crias nesta época de reprodução.

Desde 2002 que têm sido desenvolvidas iniciativas de conservação do lince-ibérico, através de projetos LIFE, e de reprodução em cativeiro, no âmbito do programa de conservação ex situ. Como refere o ICNF em comunicado, “Graças a este grande esforço de conservação, a população de lince-ibérico tem continuado a crescer numericamente e em relação à sua área de presença nos últimos anos”.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.