Por hora os portugueses desviam de aterro uma quantidade de resíduos equivalente ao peso de 12 elefantes

No Dia Internacional da Reciclagem, que se assinala a 17 de Maio, a Sociedade Ponto Verde (SPV), vem destacar o empenho dos Portugueses. Esta entidade foi criada em Portugal para gerir os resíduos de embalagens e contribuir para a mudança de comportamento em matéria de reciclagem.

Os portugueses não só têm respondido positivamente às campanhas de sensibilização levadas a cabo pela SPV, como graças a esse empenho, e ao acto de separar as embalagens usadas em casa, encaminhando-as para reciclagem, tornam possível que a cada hora que passa uma quantidade de resíduos, equivalente ao do peso de 12 elefantes, seja desviado de aterro. Um gesto simples que permite que os resíduos sejam transformados em matéria-prima secundária, que volta a integrar novos ciclos produtivos, representando um uso mais eficiente de recursos naturais nem sempre renováveis, numa lógica de economia circular. Cada 100 toneladas de plástico reciclado, por exemplo, evitam a extracção de 1 tonelada de petróleo.

Graças ao investimento realizado pela SPV em campanhas de educação e sensibilização ambientais, o País já contribuiu para a reciclagem de 7,5 milhões de toneladas de resíduos de embalagens, em resultado dos sete em cada dez lares que já fazem a separação das embalagens.

Apesar dos resultados positivos alcançados, existe ainda um considerável potencial de crescimento ao nível da adopção do hábito de separação em casa e fora de casa, resultando em maiores quantidades de embalagens usadas a encaminhar e que por si só representam um importante contributo para a desejável transição para um modelo económico circular, em detrimento do modelo assente no princípio de extrair-usar-descartar.

Adicionalmente, as novas metas de reciclagem – que irão passar dos actuais 44% para 65% até 2030 e, em 2035, para 70% –  trazem com elas desafios acrescidos e, como tal, a necessidade de um ainda maior compromisso para com esta causa. É, em face deste objectivo, que a actuação da Sociedade Ponto Verde continuará alinhada e, em proximidade estreita com os portugueses, a informar, a comunicar e a sensibilizar para que o gesto da separação de resíduos se repita multiplique e face parte da rotina dentro e fora de portas.

Em comunicado, a Sociedade Ponto Verde lembra que se “trata de uma responsabilidade partilhada por todos, e acredita que se cada um cumprir com a sua parte, não só teremos um uso mais eficiente dos recursos, como daqui surgirão modelos de negócio inovadores, em linha com os princípios da economia circular, colocando a economia mundial num caminho de crescimento sustentável”. Estima-se que as medidas de prevenção dos resíduos, concepção ecológica, reutilização e outras acções “circulares” poderão gerar poupanças líquidas de cerca de 600 mil milhões de euros às empresas da UE (cerca de 8% do total do seu volume de negócios anual), criando 170.000 empregos directos no sector da gestão de resíduos e, ao mesmo tempo, viabilizando uma redução de 2 a 4% das emissões totais anuais de gases de efeito de estufa.