Por que é que os americanos odeiam as rotundas?

Há tempos, o desenhador geoespacial Damien Saunder deu por si a pensar em rotundas. “Sou australiano e na Austrália estamos loucos por rotundas. Mas vivo na Califórnia, onde não há rotundas, por isso quis saber se era uma coisa californiana ou algo típico dos Estados Unidos”, explicou ao City Lab.

A resposta chegou pouco depois, através de um mapa da Here: havia um grande deficit de rotundas nos Estados Unidos, quando comparado, por exemplo, com países como França, onde os motoristas têm 25 vezes mais probabilidades de encontrar uma rotunda.

O colaborador da Esri descobriu também que, nos Estados Unidos, as rotundas não se encontram espalhadas igualitariamente pelos estados: existe 1.283 rotundas na Florida, mas apenas 50 em três estados: Wyoming, Dakota do Sul e Dakota do Norte.

Depois de trabalhar todos os dados, Saunder teve de mudar de opinião em relação ao número de rotundas da Califórnia: é que este é o segundo estado com mais rotundas nos Estados Unidos, logo a seguir à Flórida e à frente do Texas. Esta ausência de rotundas torna-se ainda mais incompreensível ao sabermos que o inventor das rotundas nasceu no país do Tio Sam.

“É unanimemente aceite que William Phelps Eno inventou a rotunda em 1903, em Nova Iorque”, de acordo com a britânica Roundabout Appreciation Society, uma associação que luta contra os semáforos. Sendo assim por que razão os americanos odeiam as rotundas?

Semáforos são rivais das rotundas?

Existem várias explicações, segundo Lee Rodegerdts, especialista internacional em rotundas na Kittelson & Associates. “Creio que os benefícios das rotundas não eram conhecidos [nos EUA] e nós temos um longo historial de utilizar semáforos”, explicou o responsável. “Foi preciso pessoas corajosas para que fossem instaladas as primeiras rotundas. E esta coragem teve de ser repetida por todo os Estado Unidos, dado o cepticismo inicial”.

Rodegerdts explica, inclusive, que Damien Saunder está muito optimista no que toca ao número de rotundas por si descoberto no mapa Here: 10.341. De acordo com o especialista em rotundas, existem cerca de 3.200 infra-estruturas circulares de trânsito nos Estados Unidos.

“Há poucas rotundas, na verdadeira acepção da palavra, no Texas, por exemplo. E muitas das intersecções circulares da Florida utilizam sinais de stop à entrada ou têm sinais de cedência de passagem dentro da rotunda, o que é inconsistente com a prática aceite das rotundas”, continuou.

Outra das explicações poderá ser o ano em que os países começaram a construir rotundas. No Reino Unido, a primeira chegou nos anos 60. Nos EUA, a primeira rotunda foi construir, em Las Vegas, em 1990.

“Parte da diferença tem a ver com este hiato histórico. Outra das explicações poderá estar relacionada com os diferentes níveis de investimento público em infra-estruturas, sobretudo nas que dizem respeito à segurança dos condutores”, continua Rodegerdts.

Segundo o jornalista Stephen Beard, existe outra explicação, mais controversa. “Dizem que as rotundas se deram bem no Reino Unido porque põe em jogo as virtudes de compromisso e cooperação britânicas. Os Estados Unidos têm uma cultura mais agressiva, conflituosa, o que pode explicar por que razão as rotundas não foram adoptadas pelos americanos”, escreveu.

Ainda assim, concluiu Rodegerdts, os americanos não devem sentir-se mal pela inexistência de rotundas no país. Um dos países mais evoluídos do mundo, o Japão, tem poucas dezenas destas intersecções urbanas.

NÚMEROS

Estados Unidos – 1 rotunda por 1.118 intersecções

Alemanha – 1 rotunda por 313 intersecções

Reino Unido – 1 rotunda por 127 intersecções

Espanha – 1 rotunda por 96 intersecções

Austrália – 1 rotunda por 65 intersecções

França – 1 rotunda por 45 intersecções

Foto: Michael Remo Palmén Ra / Creative Commons

Deixar uma resposta

Patrocinadores