“Porta do Inferno”, a cratera gigante que arde há 50 anos no deserto

No deserto de Karakum no Turcomenistão, perto da pequena vila de Darvaza onde habitam cerca de 350 pessoas, existe um buraco com 70 metros de largura que está em chamas há mais de 50 anos.

Embora seja tecnicamente chamado Cratera Darvaza, os habitantes locais conhecem-no como “Porta do Inferno”. O seu brilho ardente pode ser visto a quilómetros de distância.

A cratera Darvaza foi criada em 1971 quando uma plataforma de perfuração soviética acidentalmente perfurou uma enorme caverna subterrânea de gás natural, causando o colapso do solo e a queda de toda a plataforma de perfuração. Tendo perfurado uma bolsa de gás, gases venenosos começaram a ser libertados em uma taxa alarmante.

Para evitar uma potencial catástrofe ambiental, os soviéticos incendiaram o buraco, imaginando que pararia de arder em algumas semanas. Décadas depois, o poço de fogo ainda está em chamas, contrariando as expectativas dos soviéticos.

Surpreendentemente, apesar do nome da cratera e das chamas sempre presentes, as pessoas vão ao deserto para visitar o local que se tornou turístico.

Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.