Portugal: ICNB pede €152 (R$375) a quem quiser fazer uma mera caminhada nos parques naturais

Na próxima quarta-feira, 25 de Abril, vários grupos de cidadãos vão protestar contra os €152 (R$375) que lhes estão a ser exigidos para as caminhadas nos parques portugueses. Segundo o Ecosfera, a mensagem já corre há algum tempo no Facebook e em blogs, mas só agora está a chegar, de forma clara, à população.

A história é fácil de contar. Em Outubro de 2009 foi aprovada a portaria 1245/2009, que estabelecia as taxas a pagar por serviços prestados pelo ICNB. Por “declarações, pareceres, informações” ou visitas, o preço a pagar ao ICNB era de €200 (R$495). Em Março de 2010, uma nova versão da portaria excluía de qualquer pagamento o acesso e a visita a parques.

No entanto, e segundo os praticantes de actividades na montanha, a interpretação dos serviços do ICNB obrigará ainda ao pagamento de €152 (R$375) por uma simples caminhada no Parque Natural Peneda-Gerês ou na Serra de Aires e Candeeiros, por exemplo.

Mais caricata foi a recente situação vivida por um grupo que caminhava na serra de Aires e Candeeiros, que foi abordado pelas autoridades do parque natural. E notificado por não ter qualquer autorização para… caminhar.

Foi esta última situação, de resto, que levou à marcação da manifestação “A Natureza é de Todos”. Os protestos estão marcados para as Caldas do Gerês e Porto de Mós.

Segundo explica o Ecosfera, este grupo já foi recebido por todos os deputados dos grupos parlamentares – excepto o Partido Ecologista Os Verdes, que os receberá amanhã – e terá garantido o respectivo apoio de todos. O Bloco de Esquerda, inclusive, já avançou com uma recomendação ao Governo para que “isente do pagamento de taxas os particulares, grupos ou associações que pretendam realizar actividades desportivas nos parques nacionais”.

Leia as reacções de vários cidadãos, grupos e proprietários de blogs ligados ao montanhismo aqui.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php