O paddle surf, espécie de surf feito numa prancha comprida que se move a remos, vai ter no mercado novas pranchas. Tradicionalmente feitas com materiais sintéticos, exigindo um grande desgaste ecológico no seu fabrico, estas pranchas inspiraram a empresa Surftech, em colaboração com a BLOOM a criar uma alternativa mais amiga do ambiente.

“Os nossos oceanos são o nosso campo de diversão. Queremos fazer tudo para garantir que permanecem limpos” foram as declarações de Don Watts, director da Surftech, na apresentação deste seu mais recente produto.

A entrada no mercado destas pranchas está prevista já para 2018. A grande inovação apresentada é que o seu núcleo é composto por uma espuma feita a partir de biomassa de algas de água doce.

Segundo o empresário, esta espuma ainda não é 100% biodegradável, mas no seu fabrico consegue-se economizar até 660 litros de água limpa por prancha. Além disso a produção e a utilização desta biomassa evita a emissão de cerca de 1700 litros de CO2 na atmosfera terrestre.

A ambição deste empresário é que a iniciativa se torne tão popular que rapidamente contagie outros fabricantes e chegue inclusivamente às pranchas de surf tradicionais. Quem mais agradece é o nosso planeta!

Foto: Surftech

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php