Quando a História se une ao moderno

Há quem goste de mostrar a sua casa e até que se fale dela; outros, preferem a privacidade e escondem-se da população e até dos vizinhos. Nem que para isso tenham de se camuflar em ruínas de pedra, símbolo de uma presença anterior no mesmo local.

O site Inhabitat partilhou o seu top-7 das mais belas casas modernas que se escondem atrás de ruínas históricas, uma justaposição arquitectónica que mistura moderno, histórico e contemporâneo.

Na verdade, avança o site, há cada vez mais proprietários que fazem questão em preservar e resguardar as ruínas históricas existentes no local onde vão erguer a sua nova casa. Veja algumas destas casas – duas delas, aliás, estão aqui bem perto.

1.House of Ruins, Letónia

Desenhada pelo ateliê NRJA, a Casa das Ruínas foi construída dentro das ruínas de um celeiro do século XIX, na Letónia. Para além de proporcionarem um contraste sempre belo, as paredes de pedra e tijolo garante a privacidade dos proprietários e fazem de barreira contra o Mar Báltico. Já a casa aposta numa grande quantidade de características ligadas às energias renováveis e eficiência energética.

2.E-C House, Ilha do Pico, Açores

A arquitectura açoriana está na moda. Esta casa, desenhada pela SAMI Arquitectos e construída entre as ruínas de duas paredes de rocha, é um dos mais flagrantes exemplos. O tom leve e a sua estética moderna são altamente contrastantes com as ruínas, o que lhe dá um charme extrema numa ilha que não é particularmente conhecida pelos dias solarengos.

3.White House, Escócia

As ruínas de uma antiga casa escocesa suportam a White House – não a norte-americana – uma casa ambientalmente sensível e moderna que integra os princípios do design passivo para minimizar as suas necessidades energéticas. Paralelamente, os materiais escolhidos para a moradia foram recolhidos na região, o que ajuda a reduzir a sua pegada ecológica.

4.The Mill, Escócia

A paisagem escocesa é rica em moinhos abandonados, e foi num deles que o estudo WT Architecture fez crescer uma casa moderna, nas ruínas da sua fachada de pedra. Em contrate com o exterior, que foi reparado, o interior permanece o original, em madeira.

5.Casa em Linescio, Suíça

O estúdio Suíço Buchner Brundler Architekten escondeu uma casa de féras minimalista e contemporânea dentro de um edifício de granito com 200 anos. Ainda que tivessem esventrado o seu interior, para maior comodidade e modernizar o espaço, os arquitectos preservaram a fachada exterior e inseriram uma concha de cimento para ela se manter viável.

6.Case Cabrela, Sintra

A segunda moradia portuguesa elogiada pelo Inahabitat situa-se em Sintra e foi construída nas ruínas de uma casa de pedra com vários séculos. Desenhada pelo ateliê Orgânica, a Casa Cabrela tem dois andares e preserva, inclusive, a velhas portas, janelas e paredes de pedra.

7.Quinta na Itália

A exacta localização desta quinta permanece uma incógnita – apenas se sabe que fica em Itália. Ela foi recuperada pela Bergmeisterwolf Architecten, que misturou o velho com o novo e respeitou a arquitectura original, perfeitamente integrada na paisagem natural. Os arquitectos recuperaram também a histórica parede de pedra, tornando-a no ponto central do design.