Realizou-se hoje a primeira viagem autónoma em 5G em Portugal



A primeira viagem, em Portugal, de condução autónoma e conectada com 5G, em ambiente real, decorreu hoje na Ponte Internacional Valença-Tui e contou com 5G da NOS. Esta ação marcou a conclusão do projeto europeu 5G-MOBIX, que veio demonstrar o papel do 5G na mobilidade autónoma conectada.

Durante esta demonstração pública, o shuttle autónomo encontrou vários obstáculos, “todos ultrapassados graças à conectividade 5G”, sublinha a NOS em comunicado. Num primeiro caso, perante a obstrução do percurso, o veículo passou o controlo para o centro de controlo de tráfego, onde um técnico assumiu a condução, remotamente, usando uns óculos de realidade virtual. Noutro caso, um pedestre que se encontrava num ângulo morto do veículo foi detetado por um sensor instalado na ponte, que passou a informação à rede e ao shuttle, evitando a colisão. Toda a informação foi transmitida pela rede 5G da NOS, fazendo uso de tecnologia Nokia, em tempo real, “assegurando a velocidade, baixa latência e a fiabilidade da comunicação, essenciais para garantir a segurança e sucesso da viagem”.

Segundo a mesma fonte, a iniciativa 5G-MOBIX, financiada pela União Europeia (2018-2022) no âmbito do Horizonte 2020, tem como objetivo principal estabelecer a base para o desenvolvimento de corredores 5G e impulsionar o desenvolvimento de oportunidades aplicadas à Mobilidade Autónoma Conectada. O consórcio reúne 58 parceiros de 13 países da União Europeia, bem como Turquia e Coreia do Sul, entre outros.

O projeto do corredor transfronteiriço Portugal-Espanha liga o Porto a Vigo e a equipa de investigação cobre toda a cadeia de valor, desde empresas do setor automóvel e da área da mobilidade, operadores de telecomunicações, até autoridades públicas e centros de investigação. Esta equipa tem trabalhado os vários cenários de Condução Autónoma Conectada com vários desafios de interoperabilidade, sem falhas, entre múltiplos operadores de diferentes países, sublinha a operadora.

A mesma fonte adianta que, ao longo dos quatro anos do projeto, trabalhou em parceria com a Nokia, tendo disponibilizado espetro para os vários testes piloto e sido responsável pelo desenho, configuração e implementação da rede 5G, bem como com a interligação com a rede da operadora espanhola.

Os insights resultantes do projeto 5G-MOBIX “servirão de informação de base para a definição de novas regulações e standardizações, a nível europeu, relacionadas com a Mobilidade Autónoma Conectada, bem como para impulsionar o desenvolvimento de novos modelos de negócios em torno desta área”, conclui.



Notícias relacionadas

Comentários estão fechados.