Saiba quais são os 6 fatores que influenciam a autonomia de um carro elétrico

A autonomia dos carros elétricos é uma das principais preocupações de quem pretende comprar um automóvel com este tipo de tecnologia. Factores como a falta de postos públicos de carregamento, o o tempo que se leva a carregar quando não se usufrui de postos de carregamento rápido, e a autonomia geralmente inferior a um veículo a combustão, podem ser decisivos na tomada de decisão de aquisição de um veículo elétrico.

Porém, é a melhor alternativa aos carros tradicionais, e de forma a acompanhar esta evolução na sociedade, cada vez mais marcas disponibilizam novos modelos elétricos.

A Hyundai destacou seis pontos que influenciam a autonomia do veículo, dando-lhe assim, a possibilidade de gerar mudanças para otimizá-la:

Exposição a temperaturas extremas

Deve evitar expor o automóvel a temperaturas muito elevadas ou muito baixas. Sempre que possível, o automóvel deve ser estacionado em locais que protejam o veículo da exposição direta ao sol ou à neve;

Carregamento da bateria

É recomendado carregar a bateria apenas até aos 80% de capacidade e evitar que se descarregue por completo. Caso aconteça, essa situação está a contribuir e a acelerar para a degradação da bateria. O ideal será sempre carregar o veículo até aos 80% e carregá-lo mesmo que o veículo ainda tenha bastante bateria, por exemplo 50%. Para além disto, é ainda preferível carregar a bateria nos postos de carregamento normais e evitar realizar muitos carregamentos nos postos de carregamento rápidos. Estas práticas ajudam também a preservar a vida útil da bateria;

Vida útil da bateria

Com o tempo, a bateria vai apresentando algum desgaste. Quando o veículo é novo apresenta uma autonomia de, por exemplo, 300 quilómetros. É natural que passados alguns anos a autonomia máxima seja ligeiramente inferior;

Estilo de condução

O estilo de condução afeta a autonomia no sentido em que velocidades elevadas, por exemplo, vão requerer que o veículo utilize uma maior quantidade de energia, acabando por a extinguir mais rapidamente. As acelerações repentinas também irão contribuir para um gasto energético bastante superior. Neste aspeto, os veículos elétricos podem ser equiparados aos carros a combustão.

Trajeto a percorrer

Outro fator que funciona da mesma forma que nos automóveis a combustão; A autonomia vai variar de acordo com a exigência que o próprio trajeto impõe ao motor. Como tal, é natural e expectável que a quantidade de energia necessária para o fazer mover numa descida seja inferior à quantidade de energia necessária para o fazer subir;

A utilização de determinados equipamentos no automóvel

Ao utilizar o ar condicionado, o cruise-control e modos de condução menos ecológicos, estes equipamentos estarão a contribuir para a diminuição da autonomia do veículo pois têm influência no gasto de energia;

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...