Seca: Vinhais recebe camião-cisterna para futuras necessidades



O município de Vinhais, no distrito de Bragança, recebeu, sexta-feira, o camião-cisterna para transporte de água às populações com que foi contemplado no verão, no âmbito das medidas nacionais para mitigar a seca de 2022.

Vinhais faz parte de um conjunto de concelhos de Trás-os-Montes que beneficiaram de 1,3 milhões de euros do Fundo Ambiental para mitigar os efeitos da seca, a maior parte deste valor destinado à aquisição de equipamento para transporte de água.

O município formalizou, em setembro, o protocolo de financiamento com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e hoje recebeu o camião-cisterna, com capacidade para 27 mil litros, adquirido com o financiamento de 150 mil euros.

O presidente da Câmara de Vinhais, Luís Fernandes, explicou hoje que a verba foi suficiente para adquirir o veículo e também para cobrir os custos que a autarquia teve, no verão, com o transporte de água para 17 aldeias.

Este camião-cisterna junta-se a outro que o município já tinha, com capacidade para transportar oito mil litros de água, e que, junto com os 18 mil litros de um viatura idêntica da corporação local de bombeiros, garantem resposta a solicitações futuras.

O autarca salientou que “a importância deste equipamento é grande tendo em atenção, sobretudo no verão, a falta de água” que obriga ao transporte para garantir o abastecimento das populações, mas também para o dispositivo de combate a incêndios e outras necessidades do concelho.

“Ficamos melhor apetrechados, embora as dificuldades ainda poderão ser grandes, tendo em atenção a extensão do concelho”, frisou.

Além do transporte, ao nível da água o presidente da Câmara apontou outras necessidades no concelho, como “depósitos e condutas que precisam de ser substituídos, reservatórios de água para incêndios e formas de poupar água”, nomeadamente com a instalação de equipamentos de monitorização das perdas.

O vice-presidente da APA, Pimenta Machado, esteve presente na entrega do equipamento em Vinhais e indicou que, além deste concelho, no distrito de Bragança foram também contemplados Mogadouro, Vimioso, Bragança e Carrazeda de Ansiães.

Suprir a falta de água sempre que ocorram secas é o propósito destes investimentos, como observou, salientando que “o ano 2022 foi o terceiro mais seco de sempre em que muitas aldeias viram secar as captações de água”.

“ A região de Trás-os-Montes é das mais vulneráveis e expostas à seca”, como salientou, acrescentando que “as chuvas dos últimos dias trouxeram uma nova realidade, mas é bom adaptar os territórios para aquilo que são os novos episódios de seca”, que se antecipam com as alterações climáticas.

Em Vinhais, o vice-presidente da APA ouviu o autarca local pedir, além destas medidas de contingência, respostas mais estruturais para adaptar o território a esta realidade da seca, nomeadamente com a construção ou reforço de reservas.



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.