Sentir-se deprimido ou solitário pode envelhecê-lo mais rapidamente do que fumar



Embora todos tenham uma idade baseada na sua data de nascimento – a sua “idade cronológica” – também têm o que é conhecido como uma “idade biológica”, baseada no envelhecimento das funções do organismo, influenciada pela genética, estilo de vida e outros fatores. Estudos anteriores sugeriram que quanto maior for a “idade biológica”, maior será o risco de várias doenças, e o risco de morte. Agora os investigadores dizem ter criado um modelo digital de envelhecimento, revelando a importância da saúde psicológica.

“O vosso corpo e alma estão ligados – esta é a nossa principal mensagem”, disse Fedor Galkin, co-autor do estudo, citado pelo “The Guardian”.

Segundo o jornal, investigadores da Universidade de Stanford e da Universidade de Hong Kong, relatam como construíram um “relógio de envelhecimento” baseado em dados recolhidos de 4.846 adultos em 2015 como parte do Estudo Longitudinal de Saúde e Reforma da China (CHARLS).

Isto incluiu 16 biomarcadores sanguíneos, incluindo níveis de colesterol e glicose, sexo dos participantes e informações como a sua pressão arterial, índice de massa corporal e medidas da função pulmonar.

A equipa comparou a idade cronológica dos indivíduos previstos pelo modelo com a sua idade real. Os resultados sugeriram uma diferença, em média, de quase 5,7 anos acima ou abaixo da verdadeira idade do participante.

“Demonstrámos que fatores psicológicos, tais como sentir-se infeliz ou sentir-se só, somam até 1,65 anos à idade biológica”

Os investigadores descobriram que quando o modelo foi aplicado aos dados CHARLS de mais 2.617 adultos chineses com doenças associadas ao envelhecimento, previa-se que aqueles com historial de AVC, doenças hepáticas e condições pulmonares fossem mais velhos do que 4.451 adultos saudáveis, correspondendo-lhes por idade cronológica, sexo e área de vida.

O efeito médio destas condições não acrescentou mais de 18 meses à idade prevista. No entanto, a equipa encontrou outras influências no ritmo do envelhecimento.

“Demonstrámos que fatores psicológicos, tais como sentir-se infeliz ou sentir-se só, somam até 1,65 anos à idade biológica”, escrevem eles.

O estudo realça a importância do estado psicológico na rapidez com que envelhecemos. “Cuidar da sua saúde psicológica é o maior contribuinte que pode ter para abrandar o seu ritmo de envelhecimento”, explicou Galkin.

Pessoas que fumam serão 15 meses mais velhas do que não fumadores

A equipa também revelou que se prevê que as pessoas que fumam sejam 15 meses mais velhas do que os seus pares não fumadores, enquanto ser casado reduz a idade biológica em cerca de sete meses. Prevê-se que as pessoas que vivem em zonas rurais sejam quase cinco meses mais velhas do que os seus pares urbanos.

Agora, a esperança dos investigadores é a de que a compreensão da idade biológica possa levar a novas intervenções que prolonguem a vida. Andrew Steptoe, professor de psicologia e epidemiologia no University College London, sublinhou que o estudo é um dos vários dos últimos anos a utilizar dados baseados em sangue e dados biométricos para calcular um “relógio biológico de envelhecimento”. O último trabalho, acrescentou, descobriu que os sentimentos que giram em torno da depressão, solidão e infelicidade estão associados a um envelhecimento biológico mais avançado.

“Os resultados são interessantes e acrescentam às provas existentes da América do Norte e da Europa que fatores como o stress e a baixa posição socioeconómica estão relacionados com o envelhecimento acelerado”, disse Steptoe.

Mas, acrescentou, é improvável que o isolamento e a solidão sejam verdadeiramente fatores de risco piores para a saúde do que fumar, embora o estudo apenas tenha analisado os dados recolhidos num determinado momento.

“Será importante no futuro testar se estas previsões são cumpridas através da repetição de testes ao longo de vários anos”, concluiu.

 



Notícias relacionadas

loading...

Comentários estão fechados.