Sintra: activistas ecológicos debatem tratado transatlântico e OGM no sábado

A Quinta dos 7 Nomes – Cooperativa Ecológica de Colares – organiza no próximo dia 6 de Junho, sábado, o Primeiro Encontro de Eco-Activismo para informar e debater questões como o Tratado Transatlântico ou a recente aprovação de dezanove novos Organismos Geneticamente Modificados pelo Parlamento Europeu.

“São questões que vão afectar-nos a todos e que estão a ser discutidas, convenientemente, à porta fechada. Queremos perceber e ajudar a perceber quais são, afinal, as implicações que o TTIP (Transatlantic Trade and Investment Partnership) poderá ter na nossa vida, na economia da nossa comunidade, do nosso país, e travá-lo na sua actual forma. Queremos mostrar que a resiliência de uma comunidade pode acontecer de dentro para fora, e que mudar o mundo é possível” explicou Isabel Castanheira, Presidente da Quinta dos 7 Nomes.

Em comunicado, a organização avança que será um “dia aberto” que inclui apresentação de projectos que trabalham a favor da resiliência, debates sobre questões urgentes ligadas à ecologia, oficinas transversais que incluam os mais pequenos – de forma a que o dia seja alargado a toda a família – e um jantar convívio.

No evento, a Quinta dos 7 Nomes pretende ainda esclarecer as consequências da utilização de sementes geneticamente modificadas e ensinar a seleccionar, recolher e preservar sementes tradicionais, rústicas, férteis.

O programa começa às 10h00, com a recepção dos participantes e visita à Quinta dos 7 Nomes, seguido de apresentação da quinta como um modelo cooperativo sustentável. Antes do almoço há ainda espaço para mais duas apresentações, uma sobre hortas em baldios e outra sobre pomares. O almoço será em formato de picnic, cada participante leva o que quiser e partilha com os outros.

Após o almoço será feita uma apresentação sobre a importância da preservação das sementes tradicionais, seguida de um debate sobre a utilização de herbicidas nos espaços públicos de Sintra. Às 17h esclarece-se os termos do TTIP, seguido de uma apresentação sobre consciência no activismo e, a fechar, será redigido o Manifesto Anti-TTIP. Às 20h é servida uma sopa biológica e a festa continua pela noite dentro, à volta da fogueira.

“Acreditamos que Sintra, como Património Mundial e jardim envolvente da zona da Grande Lisboa, tem uma responsabilidade acrescida na tomada de consciência de questões ambientais. E acreditamos que a população de Sintra será, talvez, uma das mais activas no que diz respeito a estas preocupações” acrescentou a mesma responsável.

A participação é livre e o campismo grátis. Saiba mais neste link.

Fundada em Novembro de 2007 por um núcleo de sete pessoas e um grupo alargado de 50 sócios-fundadores, a Quinta dos 7 Nomes nasceu de uma “vontade de fomentar a produção de hortícolas e fruta biológicos a nível local; promover acções de formação na área da sustentabilidade; apoiar a produção para a auto-suficiência; trabalhar a favor da redução de preços nos produtos biológicos e criar espaços de partilha onde as famílias possam interagir”. Actualmente conta com mais de 600 sócios.

Deixar uma resposta

Patrocinadores