Sistema de partilha de bicicleta de Águeda é case study europeu

O projecto de bicicletas eléctricas de utilização gratuita de Águeda foi escolhido como caso de estudo pelo Pacto dos Autarcas, um movimento europeu que envolve mais de quatro mil cidades e que tem como grande objectivo reduzir as emissões de dióxido de carbono na União Europeia em 20% até 2020.

As dez bicicletas que fazem parte do projecto beÁgueda foram utilizadas por 150 pessoas no seu primeiro ano de funcionamento. “Tínhamos mais quatro bicicletas novas e mandei colocá-las nos parques para dar resposta à procura, que está a ser muito grande. Parece-nos que vamos ter de aumentar ainda mais [o número de bicicletas]”, explicou à Lusa o presidente da Câmara de Águeda, Gil Nadais.

Com a ajuda de este projecto – entre outros – Águeda já conseguiu reduzir em 20% as emissões de gases com efeito de estufa. Para 2020, a cidade pretende reduzir ainda 33% das emissões.

De acordo com o Menos Um Carro, o Pacto dos Autarcas refere que o impacto deste sistema de partilha de bicicletas é “considerável.” “Há menos carros nas estradas, um ar mais limpo, menos poluição sonora e um incentivo à mobilidade e ao desenvolvimento económico”.

Ainda segundo o Pacto dos Autarcas, e com a ajuda deste projecto, Águeda poderá vir a ser considerada a “primeira cidade inteligente portuguesa”.

Águeda foi a primeira cidade portuguesa a aderir ao Pacto dos Autarcas, em 2008.

Deixar uma resposta

1 comment

  1. O Sofredor

    Por agora tudo bem…todos acham bem… quando chegar a altura das manutenções, reparações, etc…que fica tudo à custa do contribuinte quero ver as mesmas pessoas a dizerem que o Estado só sabe gastar…