Tecnologia: por um mundo melhor

Os desafios das sociedades atuais impõem um salto tecnológico, que potencie a transição para um mundo mais sustentável. A pandemia de Covid-19 veio acentuar essa necessidade, com os confinamentos a promoverem a utilização massiva do digital, o que conduziu a uma recuperação do meio-ambiente sem precedentes.

Enquanto o mundo atravessa uma segunda vaga, é preciso acelerar e trabalhar em colaboração, para chegar mais depressa a soluções mais sustentáveis. A sustentabilidade é hoje tema central na estratégia das empresas tecnológicas, funcionando como um traço definidor da forma como estas se posicionam no mercado. Consciente de que o potencial da tecnologia na construção de um futuro melhor e amigo do ambiente é enorme e, ao mesmo tempo, uma oportunidade de negócio, a Huawei tem vindo a apostar em dar resposta aos desafios do planeta, sem deixar de atender às necessidades diárias do negócio.

Holy Ranaivozanany, Head of Global Corporate Social Responsibility da Huawei, explica que “a sustentabilidade é uma área de investimento da empresa há já algum tempo”. Atualmente, a organização adotou o mote “Tech for a better World”, um movimento transversal a todas as áreas de negócio, que assenta em duas vertentes: ‘Take Less’, com a aposta na redução de impactos na natureza através da inovação tecnológica, a reciclagem de produtos e a gestão operacional; e ‘Do More’, beneficiando a natureza com a utilização das tecnologias, através da cooperação entre organizações e parceiros para proteger o planeta de forma mais eficaz.

Esta abordagem segue quatro orientações fundamentais: redução das emissões de carbono; promoção das energias verdes e renováveis, como é o exemplo das soluções FusionSolar e da comercialização dos seus inversores; conservação e preservação da Natureza através de ações de responsabilidade corporativa ambiental. Para esta responsável, a inovação e a colaboração são vitais na resposta aos desafios da sustentabilidade ambiental e há muito a ser feito. Até porque, “a tecnologia por si só não resolve nada. Há que dar um passo de cada vez, mas juntos podemos acelerar a mudança”.

Mesmo no contexto de turbulência que atravessamos, com os olhos centrados na área da saúde, as alterações climáticas não perderam importância. Para a responsável da Huawei, “a colaboração é essencial. Promover iniciativas de forma isolada não terá qualquer impacto face aos problemas massivos que temos pela frente. Temos de ter uma voz comum para conseguir endereçar eficazmente os desafios. A Huawei defende que inovação e colaboração são as chaves para o sucesso de uma estratégia ambiental, reconhecendo a importância da colaboração entre todos os players e recorrendo ao que de melhor a tecnologia oferece”.

INOVAR DE OLHOS POSTOS NO AMBIENTE

A proteção ambiental é hoje fundamental da estratégia de crescimento da empresa. Na apresentação do relatório de sustentabilidade do ano passado, Liang Hua, Chairman da Huawei, referiu “estamos a inovar fortemente de forma a reduzir o consumo de energia dos nossos produtos, rumo a um mundo mais verde. Acreditamos que uma economia digital terá que ser uma economia verde, onde as políticas e a inovação fomentam a utilização mais eficiente dos recursos, aumentando o bem-estar de uma forma mais inclusiva, protegendo os sistemas naturais que nos sustentam.”

A chegada das redes de quinta geração permitirá utilizar menos energia para transmitir mais informação: com 1kWh de electricidade será possível transmitir 5.000 GB de dados, o equivalente a 5.000 filmes em ultra-HD. Com 4G a mesma quantidade de energia permitia apenas a transmissão de 300 filmes em alta definição. De acordo com os responsáveis da empresa, as soluções 5G da Huawei são entre 10 a 20 vezes mais eficientes que as de 4G, consumindo menos 20% de energia que a média da indústria.

A TECNOLOGIA COMO PROMOTORA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

As Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) são promotoras da sustentabilidade, já que aumentam o acesso a informação e serviços, promovem a conectividade, a produtividade e a eficiência dos recursos. A tecnologia torna a educação mais acessível e eficiente, disponibilizando recursos educacionais mais robustos e amplos, através de soluções de eLearning.

Relativamente à assistência médica, a tecnologia permite que os problemas de saúde possam ser tratados ou prevenidos de forma mais eficiente, melhorando a assistência médica a grupos com carências sociais e económicas. A conexão de hospitais e clínicas a plataformas digitais de assistência médica também ajuda a disponibilizar às populações localizadas em áreas remotas acesso a serviços de assistência, promovendo a coesão social.

A tecnologia também pode ajudar a conservar os recursos naturais, proteger espécies ameaçadas e prevenir desastres naturais. A título de exemplo, a Huawei trabalha com o Rainforest Connection para, através da tecnologia de smartphones e Inteligência Artificial, proteger a floresta e animais ameaçados pela extração ilegal de madeira.

O DIGITAL ENQUANTO ACELERADOR DO PROGRESSO E EVOLUÇÃO DOS PAÍSES

A infraestrutura de TIC é um facilitador do desenvolvimento sustentável, tão importante quanto as estradas ou as redes energéticas. Os países podem recorrer à digitalização para acelerar o seu progresso social, económico e ambiental. Mas tal não pode acontecer de forma isolada. É necessária uma colaboração mais forte entre todos os stakeholders, incluindo decisores políticos, que incentivem o desenvolvimento e a implementação de soluções digitais inovadoras. Metade da população do mundo ainda está offline, não podendo participar de maneira significativa na economia digital. O fosso digital continua a ser um desafio e a lacuna de competências digitais é uma dos principais pontos a melhorar.

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) suportam orientações estratégicas não só no âmbito da inclusão digital, da segurança e fiabilidade, mas também em relação à proteção ambiental e à preservação de um ecossistema saudável e harmonioso. Nesta lógica, a Huawei desenvolveu o benchmark ICT SDG para monitorizar o progresso internacional e entender a correlação entre o acesso à tecnologia e a conquista dos ODS.

A sua investigação encontrou uma correlação direta entre o progresso das TIC e dos ODS em até 86%, o que demonstra que as TIC é um dos mais importantes indicadores para avaliar o desenvolvimento sustentável e acelerar o progresso dos países.

Relativamente aos ODS, os desafios para a Huawei enquanto tecnológica, prendem-se essencialmente pelo facto dos ODS serem muito vastos, pelo que é fundamental identificar os indicadores através dos quais pode causar maior impacto. De acordo com a análise desenvolvida no benchmark ICT SDG, conclui-se que as TIC podem fazer a diferença de forma evidente em áreas-chave no âmbito do ODS 4 (Educação de Qualidade), do ODS 3 (Saúde de Qualidade), do ODS 9 (Indústria, Inovação e Infraestrutura) e do ODS 5 (Igualdade do Género). Em suma, é essencial optar por uma abordagem focada e efetuar investimentos significativos em colaboração e inovação, de modo a enfrentar estes desafios específicos.

Diogo Madeira da Silva, Head of Public Affairs & Communications da Huawei Portugal considera que as tecnologias estão inevitavelmente ligadas à missão da transição energética e economia circular. Sendo certo que dois dos principais eixos do Plano de Ação para a Economia Circular, da Comissão Europeia, assentam no desenvolvimento das TIC, o responsável pela área de Responsabilidade Social Corporativa no nosso país, considera que o ‘casamento’ entre tecnologia e sustentabilidade é inevitável para que sejam alcançadas as metas da transição para uma economia mais verde.

“Se há algo que permite acelerar o cumprimento destes objetivos é a tecnologia. Uma aceleração da transição digital permitirá que estejamos em melhor condições de cumprir as metas de descarbonização e de sustentabilidade”. A sustentabilidade revela-se assim um bom ativo para o negócio, e a inovação e rápida evolução das infraestruturas tecnológicas serão fundamentais na implementação de uma Sociedade Sustentável e no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...