Turbina eólica itinerante leva energia para locais onde ela não existe (com FOTOS)

Levar energia limpa para todo o mundo

Segundo as Nações Unidas, cerca de 1,3 mil milhões de pessoas não tem acesso a energia, ou seja, um em cada cinco cidadãos mundiais tem de fazer o seu dia-a-dia sem electricidade. Por isso, muitos engenheiros e inovadores dedicam-se a tentar encontrar infra-estruturas que respondam, de forma eficaz, a este desafio gigantesco.

Um destes projectos, desenvolvido pela start up Altaeros, criou uma espécie de turbina eólica que flutua, a BAT – Buoyant Airborne Turbine. A turbina é preenchida com hélio, sendo a tecnologia ligada aos sistemas de monitorização das condições atmosféricas para alinhar a sua posição de forma eficiente.

A turbina chega até 300 metros de altitude, três vezes mais que uma turbina convencional, o que permite o dobro de aproveitamento dos ventos em relação a tecnologia actual.

Os primeiros testes foram realizados no estado do Maine, na região da Nova Inglaterra, nos Estados Unidos, e o próximo protótipo é a sério. A cidade de Fairbanks, no Alasca, receberá a BAT devido aos €935 mil (R$ 2,9 milhões) de investimento realizados pela empresa que distribui energia na região. A fase de demonstração comercial deve durar 18 meses.

Depois disso, o objectivo é expandir e levar a turbina flutuante para África ou locais que utilizem fontes sujas, como o gasóleo. Segundo os ex-alunos do MIT que fundaram a startup e são responsáveis pela tecnologia, a BAT tem capacidade suficiente para abastecer 12 casas.

Ben Glass, CEO da Altaeros, afirmou em entrevista ao site Mother Nature Network que o acesso e a instalação são muito mais fáceis. “O BAT é transportado e instalado sem a necessidade de guindastes, torres ou fundações no subsolo – fatores que empataram projectos anteriores de quintas eólicas”.

O vídeo que apresenta o projecto diz que a BAT é a próxima geração de energia eólica, “mais barata, flexível e significativamente mais eficiente”. Barata, aparentemente, não será. Mas é bem-vinda.

Deixar uma resposta

Patrocinadores

css.php